Pilobolus apresenta-se três dias em São Paulo

O menos convencional dos grandes grupos internacionais de dança está em São Paulo. O Pilobolus Dance Theatre, formado em 1970, foi um dos pioneiros da exploração de novos limites não coreográficos na dança. A trupe que a misturou com acrobacia, teatro e artes plásticas ocupa hoje o palco do Teatro Municipal para uma temporada de três dias. Pilobolus traz quatro peças em seu repertório: Apoplexi, Femme Noir, Gnomen e A Selection.O Pilobolus Dance Theatre foi formado há 31 anos por estudantes de dança que não eram bailarinos. Moses Pendleton estudava literatura e esquiava. Steve Johnson seguia o curso de medicina e praticava salto de vara. O terceiro, Jonathan Wolken, freqüentava aulas de filosofia. O trio se conheceu em um curso de Alison Chase no Dartmouth College. O trabalho que tiveram de realizar para a conclusão do curso fi a semente que levou ao Pilobolus. Acrobacia e humor - O grupo, que hoje tem sólida carreira, caracteriza-se por usar soluções pouco convencionais em dança. Fogem dos modelos clássicos e também dos modernos. Não seguem a escola expressionista de Kurt Joos e Mary Wigman, nem buscam a dramaticidade contraída de Martha Graham. Sua linha de criação acopla movimentos corriqueiros com acrobacia. E tempera tudo com muito humor. Porém, os integrantes do Pilobolus não brincam em serviço. A acrobacia, os elementos circenses e o humor estão associados a uma concepção original da dança, que a equipe explora com seriedade e muita competência. Estilisticamente, alinham-se aos grandes criadores da dança americana contemporânea, em especial ao trabalho do coreógrafo Paul Taylor. Mas insuflam nesse trabalho graça e aparente simplicidade, características de sua criação. O grupo Pilobolus sabe também tratar de assuntos sérios. Apoplexi, peça incluída nesta turnê brasileira, é um depoimento sobre a violência e o convívio do ser humano com ela. A improvisação é uma das bases do trabalho dos bailarinos. Outra base vem de movimentos tirados do cotidiano, levados para a cena com grande criatividade, mas de maneira que possam ser identificados pelo espectador. Pilobolus dá a gestos de todo o status de arte. Pilobolus Dance Theatre - Teatro Municipal (Pça. Ramos de Azevedo, s/n, tel.: 222-8698). De hoje a quinta, 21 h. De R$ 15 a R$ 70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.