Picasso na Oca termina com 830 mil visitantes

O último dia da exposição Picasso na Oca, no Ibirapuera, zona sul de São Paulo, neste domingo, apresentou uma situação curiosa. O público passou mais tempo na fila do que apreciando as obras do artista espanhol. Quem não quis perder essa última chance teve que esperar, em média, 2 horas para poder visitar a exposição. Só que lá dentro muitos não passavam mais do que 40 minutos. Durante cinco meses, 830 mil pessoas visitaram a exposição ? 300 mil delas, estudantes. O evento foi o maior já realizado na Oca. No ano passado, a mostra Guerreiros de Xian e os Tesouros da Cidade Proibida terminou com público de 817 mil pessoas. O movimento foi tão bom que até os ambulantes que atuam no Ibirapuera transformaram-se em fãs do artista. ?Olha, eu não entrei, não. Mas essa exposição aumentou em 20% minhas vendas. A gente vai sentir muita falta?, contou o ambulante Valmir José, 29 anos. Picasso na Oca foi inaugurada em 28 de janeiro. Essa foi a maior retrospectiva do artista espanhol Pablo Picasso já realizada na América Latina, com 126 obras do pintor a maior parte jamais vista deste lado do continente. A difícil missão de substituir a exposição de Pablo Picasso será da Fashion Passion, mostra que contará a história da moda no Brasil e no mundo. A previsão é que ela seja aberta ao público a partir de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.