Piauí Sampa traz diversidade cultural do Estado a SP

Evento que promove intercâmbio de negócios será realizado no Shopping Eldorado

Agencia Estado

14 Junho 2007 | 18h00

A partir desta terça-feira, 12, até domingo, 17, a cidade de São Paulo abre espaço para um intercâmbio de negócios e cultura com o Estado do Piauí, o terceiro maior da região Nordeste do País. Trata-se do Piauí Sampa - Terra do Sol na Terra da Garoa, que chega à sua terceira edição, com novo local, o Shopping Eldorado. A iniciativa é do Sebrae do Piauí, juntamente com o governo do Estado e a prefeitura de Teresina. O Shopping Eldorado será palco de exposição de diversos segmentos piauienses, como artesanato, gastronomia, turismo, moda, decoração, cultura de caju e mel e até mesmo música, com apresentações de artistas daquele Estado no Sesc Pompéia. Para o diretor superintendente do Sebrae do Piauí, Delano Rocha, o evento é um grande "intercâmbio regional" entre os dois Estados e, sobretudo, uma grande oportunidade para geração de negócios. Segundo Delano, o evento gera por edição cerca de R$ 2 milhões. Mas o número final é ainda maior. "Os negócios se potencializam através dos contatos realizados durante a semana, o que aumenta este resultado", pontua o diretor superintendente, que prevê um incremento de 10% a 20% na edição deste ano. A estimativa é de que 33 mil pessoas circulem diariamente pelo Piauí Sampa 2007. Além do Shopping Eldorado, com exposição aberta ao público, haverá também uma Rodada de Negócios em Turismo em um hotel da capital paulista. A meta, afirma Delano, é promover uma integração ainda maior para geração de negócios. "Bons resultados nós já temos, a feira mesmo por si só já gera. Mas vamos potencializar (os negócios) com os encontros direcionados", diz Delano, acrescentando que este é um processo de médio e longo prazo. O Piauí Sampa foi idealizado após uma edição que contemplava outras cidades, como Brasília, Belo Horizonte, Ribeirão Preto, entre outras, realizada em 2004. Entretanto, os organizadores avaliaram que era melhor centralizar todas as potencialidades do Piauí em um único grande evento. Daí surgiu o Piauí Sampa. "O evento deu muita visibilidade e grandes resultados para o nosso Estado. Aí encerramos os eventos nos outros locais e passamos a fazer só em São Paulo", conta Delano. Intercâmbio musical Além de negócios, o Piauí quer mostrar também sua cultura musical. Para isso, na edição de 2007, o Piauí Sampa contará também com dois dias de shows no Sesc Pompéia, dias 15 e 16, sem deixar a integração de lado, abrindo espaço também para bandas paulistas, em uma espécie de diálogo musical. Na sexta-feira, sobem ao palco os grupos Oscaipora, Radiofônicos e Flagrante. Encerram a noite os paulistas do Mercado de Peixe. Já no sábado, será a vez de Rubens Figueiredo, Roque Moreira e Vavá Ribeiro mostrarem a música piauiense. O músico Curumim representa São Paulo, no fechamento da noite. O piauiense Rubens Figueiredo considera o evento uma oportunidade de "mostrar a produção musical do Piauí, que não é muito conhecida". Mas o que é a música piauiense? "Não dá para rotular, tem uma diversidade muito grande. Temos rap, reggae, gente do metal; é uma cidade que desenvolve vários estilos musicais", responde Rubens, que faz MPB, com estética parecida com Lenine e Paulinho Moska, mas, ressalta o músico, com influência de Djavan.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.