PIANISTA SERÁ SOLISTA DA OSESP

András Schiff estará em São Paulo, em concertos e recital entre 30 de agosto e 1º de setembro, na Sala São Paulo. Com a Osesp regida pelo italiano Carlo Rizzi, em 30 e 31 de agosto e 1º de setembro, sola o Concerto nº 1 de Beethoven, escrito por ele aos 24 anos em Viena - que registra, de certo modo, o "nascimento" do compositor, ainda influenciado por Haydn e Mozart. E dia 28 de agosto faz um recital. Mas, se for preciso escolher só um deles, fique com o recital. Schiff montou um programa conceitual raro, com as derradeiras sonatas de Haydn, Beethoven e Schubert. A encorpada "sinfônica" Sonata nº 62 de Haydn, composta em 1794, em Londres, quando ele conheceu de perto os robustos pianos ingleses, já anuncia o que seria a música do século 19; a Opus 111 de Beethoven, de 1821, com sua incrível Arietta de 18 minutos, até hoje soa visionária; e a sonata D. 960, escrita por Schubert em setembro de 1828, dois meses antes de sua morte, apresenta uma genial canção sem palavras em seu imenso molto moderato inicial. Três obras-primas, que Schiff já gravou nas últimas décadas. / J.M.C.

O Estado de S.Paulo

22 de janeiro de 2012 | 03h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.