Foto: Reprodução/Twitter
Foto: Reprodução/Twitter

Pianista e ícone do jazz, Ellis Marsalis Jr. morre aos 85 anos por coronavírus

Músico e professor americano estava internado em hospital de Nova Orleans, sua cidade natal, nos Estados Unidos

Redação, O Estado de S.Paulo

02 de abril de 2020 | 04h40

NOVA YORK - O pianista e professor americano Ellis Marsalis Jr., que teve papel central no ressurgimento do jazz no final do século XX, morreu por complicações da covid-19, na quarta-feira, 1, aos 85 anos. Ele estava internado em um hospital em Nova Orleans, sua cidade natal, nos Estados Unidos.

Marsalis Jr. viveu décadas como músico e educador, orientando muitos jovens, inclusive seus filhos. Ele foi responsável por lançar a carreira de Wynton e Branford Marsalis, que começarem a fazer sucesso no início dos anos 80.

"Meu pai era um músico e professor gigante", disse Branford. "Ele fez o possível para nos tornar o melhor que poderíamos ser".

Carreira musical

Ellis Marsalis se formou em educação musical na Universidade de Dillard, em 1955, e tocou jazz até se alistar no Corpo de Fuzileiros Navais no ano seguinte, de acordo com a Fundação Nacional das Artes. Ele se tornou membro do Corps Four, um quarteto de jazz dos fuzileiros navais que se apresentou na televisão e no rádio para aumentar os esforços de recrutamento.

Na década de 1970, ele conseguiu um mestrado em educação musical na Loyola University e passou a lecionar na Virginia Commonwealth University e na University of New Orleans, onde liderou o Departamento de Jazz por 12 anos.

Em 2008, Marsalis entrou no hall da fama da música da Louisiana. Em 2011, o Fundação Nacional das Artes concedeu à família um prêmio de "mestre do jazz" em reconhecimento por suas muitas contribuições à música e cultura americana.

A esposa de Marsalis, Dolores, morreu em 2017. Ele deixa os filhos, Branford, Wynton, Ellis III, Delfeayo, MBoya e Jason; sua irmã Yvette; e 13 netos. / NYT e AFP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.