PF procura três músicos cubanos desaparecidos em PE

Após show, o vocalista e dois violonistas da banda 'Los Galanes' não voltaram para Cuba como previsto

AE, REUTERS

14 de dezembro de 2007 | 11h26

A Polícia Federal está à procura desde a última quinta-feira, 13, de três músicos cubanos que desapareceram, após realizarem apresentações em Pernambuco. O vocalista e dois violonistas da banda "Los Galanes" não voltaram para Cuba com o restante do grupo, como estava programado, e a polícia ainda não tem informações sobre o paradeiro deles.  Veja também: Cronologia do caso dos boxeadores cubanos O cantor Miguel Angel Costafreda e os companheiros Juan Alcides Díaz e Arodis Verdecia Pompa não retornaram à ilha com os outros integrantes da banda na quarta-feira e, segundo a PF, teriam demonstrado interesse de pedir asilo político ao Brasil a pessoas ligadas a vinda do grupo. A expectativa é que eles procurem a Polícia Federal com pedido de asilo político. "Em casos assim, na hipótese de nada lhes ter acontecido, os estrangeiros deixam passar alguns dias para aparecer", afirmou o assessor de imprensa da PF-PE, Giovane Santoro."Fomos comunicados ontem do não embarque de volta deles para Cuba", disse nesta sexta por telefone um assessor da Polícia Federal em Recife. "Estamos tomando providências para a localização dos cubanos para saber o motivo desse não embarque", acrescentou. A Polícia Federal acredita que os músicos estejam com visto válido para permanência no país, porque chegaram no início de dezembro. Caso o visto esteja vencido, entretanto, eles serão notificados pela PF e terão oito dias para deixar o país, após serem encontrados. O grupo fez apresentações em Recife, Olinda e outras cidades pernambucanas. Segundo o produtor musical Jair Pereira, um dos responsáveis pela vinda da banda cubana, os músicos ficaram animados com a recepção do público.      O produtor afirmou que os três músicos desaparecidos não teriam dinheiro para se manter sozinhos por muito tempo, uma vez que não teriam recebido cachê pelas apresentações. "Eles manifestavam sempre o interesse de voltar a Recife em função desse carinho que receberam do público. Eles tinham vontade de conhecer outras cidades do Nordeste", disse Pereira. O grupo Los Galanes foi trazido ao Brasil por indicação do Instituto Cubano de Amizade entre os Povos, em um projeto da capital pernambucana chamado Cuba-Recife. O grupo é conhecido por apresentações para turistas em Havana. Em julho deste ano, durante os Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro, dois boxeadores cubanos tentaram desertar da delegação do país e ficaram alguns dias desaparecidos. Eles foram encontrados pela polícia e repatriados.  Desaparecimento Depois do último show, na última terça-feira, o grupo se encontrou com admiradores da música e do processo político cubano, num jantar organizado por professores da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Costafreda, Pompa e Diaz alegaram cansaço e ficaram no hotel em que estavam hospedados, no município vizinho de Olinda. Em torno da uma hora da madrugada um carro os apanhou. Eles levaram malas e instrumentos. Santana e os outros membros dos Galanes - Armando Benitez, Ricardo Pena e Raúl Sanchez - voltaram ao seu país certos de que nada de mal aconteceu a Costafreda, Pompa e Diaz. De acordo com o produtor Jair Pereira, eles entenderam o desaparecimento como uma opção por não voltar a Cuba. O "Los Galanes" se apresenta para turistas em Havana Velha. Jair Pereira fez contato com a Associação Brasil-Cuba Casa Gregório Bezerra, com sede no Recife, e com o ICAP - que promove intercâmbio cultural entre os governos - para trazer o grupo.(Com Pedro Fonseca, reportagem da Reuters Television, e Angela Lacerda, de O Estado de S. Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
GERALCUBANOSMUSICOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.