Peter Brook virá para o festival de Belo Horizonte

Depois de uma negociação iniciada em janeiro, o diretor inglês Peter Brook confirmou anteontem sua vinda ao Brasil acompanhando o seu mais recente espetáculo, Tierno Bokar, que integrará a programação da 7.ª edição do Festival Internacional de Belo Horizonte (FIT-BH). A montagem será apresentada entre os dias 27 e 30 de agosto, no Teatro Francisco Nunes, em Belo Horizonte. O diretor, de 79 anos - que esteve no Brasil uma única vez, em julho de 1980, acompanhando o lançamento de seu filme Encontro com Homens Notáveis -, chega ao País no dia 9 e dá uma palestra, aberta ao público, no dia 11, em Belo Horizonte. A presença do renomado diretor e as apresentações de Tierno Bokar ampliam a importância dessa edição do FIT, que contará ainda com outros 8 espetáculos internacionais, 11 nacionais e 13 locais. "Tierno Bokar é uma grande montagem, envolvendo toda a companhia. No palco, estão juntos alguns dos atores mais antigos e importantes do Centro Internacional de Criação dirigido por Brook, como Yoshi Oïda, Sotigy Kouyate e Bruce Myers", diz Marcelo Bones, diretor do FIT. "Outro aspecto que considero muito importante é o frescor do espetáculo, que nem chegou a entrar em temporada na Europa." Até agora a montagem foi apresentada em dois festivais, em Duisburg (Alemanha) e Barcelona (Espanha). Brook inspirou-se no livro O Sábio de Bandiagara, do etnólogo e filósofo malinês Amadou Hampâté Ba (1901-1991) para levar ao palco a vida e a filosofia do sufi Tierno Bokar (1875-1940), que pregava um islamismo tolerante. A adaptação de Marie Helénne-Estienne enfatiza como grandes massacres podem nascer de mesquinharias. Numa pequena aldeia africana, uma guerra tribal gira em torno da divergência sobre o número de vezes que uma oração dever ser repetida - 11 ou 12. Quem viu no Brasil a última montagem de Hamlet, de Brook - cujo cenário se resumia a tapetes -, pode contar com a mesma aposta na essência. "Há muito perdi o interesse em ir ao teatro para admirar habilidades e técnicas dos atores e diretores. Para mim, o que conta é a qualidade da experiência", disse Brook em encontro com artistas em sua vinda anterior ao Brasil. "Estamos planejando uma programação paralela, com exibição de vídeos e encontros com o elenco", diz Bones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.