Pestinha supera romance

Além de homem de confiança de Adam Sandler - leia entrevista acima -, Dennis Dugan ostenta no currículo a comédia Problem Child, aqui lançada como O Pestinha. Ajuda a entender por que Esposa de Mentirinha está longe de ser uma comédia romântica padrão. Sandler pratica um humor incorreto, Jennifer Aniston, formada na escola de Friends, ajudou a colocar no audiovisual um diálogo mais franco e honesto e a tudo se soma a familiaridade de Dugan com as crianças.

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

04 de março de 2011 | 00h00

Esposa de Mentirinha não é filme para ser recomendado por crítico, e menos ainda para cinéfilos de carteirinha. Mas não é perda de tempo assistir à comédia que estreia hoje. Logo na abertura, Sandler perde as ilusões e toma uma lição sobre como ser cafajeste. A professora - a mulher com quem está para se casar (e que abandona no altar). Ela conta às amigas, suas damas de honra, que passou a noite com o ex, e agora vai se casar com o "narigudo", que, afinal, é um bom partido. Médico judeu, rico, etc.

O marido (que não é) usa a aliança como chamariz para mulheres que caem na sua lábia, depois de melhorar o visual, fazendo uma plástica no nariz. A situação evolui para uma farsa. Sandler tem de fingir que é casado com sua assistente (Jennifer) - veja para saber por quê. Entra em cena Nicole Kidman, no papel de coadjuvante, casada com o gay Dave Matthews (sim, o músico). As piadas incluem o primo do herói, que fez plástica peniana. Tudo incorreto e até de mau gosto, eventualmente. Sem esquecer o casal de filhos de Jennifer. A menina Bailee Madison, que quer ser atriz (e fala com sotaque british, à Colin Firth), é o que o filme tem de melhor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.