Personagens de Takamoto voltam à TV em novo canal

Ele criou personagens de desenho animado que conquistaram quatro gerações: Zé Colméia, Dom Pixote, Pepe Legal, Dick Vigarista e Mutley, Penélope Charmosa, Bibo Pai e Bobi Filho, Josie e as Gatinhas e Johnny Quest. E ele gostaria de deixar uma mensagem para as crianças que viram pela TV uma das maiores demonstrações da estupidez humana desde tempos imemoriais, o atentado em Nova York."O que eu diria para as crianças é: tenham fé, este mundo vai continuar sendo um bom mundo para vocês crescerem nele", disse o veterano cartunista Iwao Takamoto na tarde de sexta-feira, em entrevista por telefone, dos Estados Unidos.As antigas criações de Takamoto voltam a agitar a televisão (na verdade, nunca saíram dela) no canal Boomerang, que passa a ser exibido pela Directv a partir de segunda-feira. Para o artista, o que faz a longevidade dessa turma é que ela fala de uma forma direta às pessoas, e suas experiências estão baseadas na vida cotidiana.Ele não vê Zé Colméia e Scooby Doo em uma situação de competição com os cartuns de maior sucesso da atualidade, como Johnny Bravo, O Laboratório de Dexter e As Meninas Superpoderosas. "Na verdade, são coisas criadas para os dias de hoje, algumas melhores e mais ricas que outras", pondera. "O que eu desejo é que os desenhistas coloquem algo deles nos cartuns."Iwao Takamoto demonstra grande humildade e sinceridade em seus arrazoados. Para ele, conseguir o sucesso fazendo desenho animado não é muito diferente de atingi-lo em outras profissões. Não critica as modificações e "atualizações" que seus personagens sofreram em versões atuais."Eles mantêm fidelidade às idéias originais", afirma o autor, que criou alguns dos cachorros mais engraçados e bem-sucedidos da televisão, como Scooby, Mutley e Astro, o cão dos Jetsons. O nome Scooby Doo, por sinal, tem uma história divertida: Takamoto batizou o personagem inspirado pela música Strangers in the Night, na qual Frank Sinatra cantarola Scooby Dooby Doo ao final.Essa especialidade canina é uma contingência, segundo ele. "Os cães são sociáveis com o ser humano", explica. "Eu também tive alguma experiência trabalhando em A Dama e o Vagabundo e Os Dálmatas", lembra."Eu geralmente trabalho com animais com os quais me identifico, não importa de qual parte do mundo", diz, explicando os motivos pelos quais nunca explorou um cartum baseado num animal latino-americano, por exemplo. Mas Takamoto lembra que há um aspecto de business no assunto, e que o sentido de criar um novo desenho animado passa pela decisão de um estúdio.O animador também falou sobre uma de suas personagens coadjuvantes que se tornou um culto em cinco continentes, a delicada Penélope Charmosa (no original, Penelope Pitstop). "Eu a criei para incluir uma personagem feminina na Corrida Maluca", lembra o artista. A chegada de uma garota - coisa que não tinham desenhado até então - trouxe problemas de adaptação para seu time de desenhistas.A sexy Penélope foi baseada numa personagem de antigos filmes mudos chamada Pearl White. "Era uma personagem que estava sempre em perigo, uma heroína que sobrevivia a tudo", lembra. "Depois, ela se tornou tão popular e recebemos tantas cartas que acabamos lhe dando seu próprio desenho."Takamoto crê que a Internet poderá transformar-se num futuro muito breve numa ferramenta essencial da animação. "Estou certo de que algo está mudando, mas não sou a pessoa adequada para dizer o que será feito ou desenvolvido no futuro", disse, alertando, contudo, para a responsabilidade que os empresários do ramo do entretenimento terão com a nova mídia.Disney - Takamoto começou na animação em 1945, trabalhando para os Estúdios Disney na Califórnia. Aos 76 anos, tem um currículo pródigo em cinema e televisão. Foi grande amigo de William Hanna, um dos donos dos estúdios Hanna & Barbera, para quem trabalhou a partir de 1960. "Trabalhei para ele e com ele e foi uma grande perda", diz Takamoto. Bill Hanna morreu em março deste ano.Nos Estúdios Disney, Takamoto trabalhou com os experimentados Ollie Johnston, Marc Davis, Milt Kahl, Ward Kimball, Frank Thomas e Eric Larson. Entre suas contribuições, além da criação de personagens, também bolou inovações das artes gráficas na animação, como a arquitetura e os veículos espaciais vistos em Os Jetsons. É ganhador do prêmio Windsor McKay´s Lifetime Achievement, um dos principais da arte à qual tem se dedicado por 56 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.