Personagem inspirou várias adaptações

Não é a primeira vez que o conto de Herman Melville, Bartleby, o Escrivão, inspira outros artistas. Saudado por Jorge Luis Borges como uma das maiores obras da literatura, o livro, que pouca atenção mereceu à época de sua publicação, hoje é constantemente revisitado. Já mereceu versões cinematográficas, adaptações para o teatro e influenciou abertamente escritores como Albert Camus - que assumia a admiração pelo autor norte-americano - e Enrique Villa-Matas. O romancista espanhol foi tão longe em sua devoção ao personagem que escreveu Bartleby e Companhia. Na obra, ele identifica uma série de escritores que sofreriam da síndrome de Bartleby - mesmo sendo capazes, eles preferem não escrever.

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

19 de agosto de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.