Persona

Socorro, SerraSe alguém ainda tinha dúvidas se a vaia ao presidente Lula, no Maracanã, foi justa, agora não tem mais. Porque o governo federal tem sim sua grande parcela de culpa na tragédia de terça-feira em Congonhas. Os aeroportos são de competência federal. A Infraero é uma empresa federal. A crise aérea é um problema federal. Os paulistas e paulistanos entregam agora sua desesperança nas mãos do governador José Serra para que, com a força de todos os seus votos, e credenciado pela sua comprovada competência política, arranque de Brasília uma solução para os aeroportos de São Paulo. Uma solução que não pode mais esperar. Infelizmente, de Brasília, ultimamente, a única solução sugerida foi o conselho da ministra Marta Suplicy à população. É acintoso. O dinheiro de impostos federais pagos pelos paulistas sustentam o desperdício nacional, são mau usados em todo o País, escoam por ralos, vão parar em mãos erradas. Se ficassem por aqui, não teríamos de contar esses mortos nem conviver com estas tragédias.Festa suspensaA Academia Brasileira de Letras suspendeu a festa de amanhã, que comemoraria os 110 anos da instituição, por causa da tragédia de Congonhas. O presidente Lula mandou o ministro Luiz Dulci avisar o presidente da ABL, Marcos Vilaça, que não iria, de qualquer maneira. A festa ficou para setembro, dependendo da agenda do presidente. Os prêmios Machado de Assis, no entanto, serão entregues aos vencedores, sem cerimônia nem discurso. Os premiados são muitos, entre eles Rubem Fonseca, Francisco Weffort, Laura Mello e Souza, Adelia Prado, Beto Brant e Marco Ricca.Olha o cheque...Uma amiga da coluna avisa que, recentemente, teve três cheques clonados, dois do Real/ABN AMRO e um do Bradesco. A pratica está ficando freqüente. Portanto, evitem dar cheques, e na medida do possível, nunca ao portador. E mais, chequem seus extratos atentamente e com freqüência.História tristeQueimou no avião da TAM, acidentado em Congonhas, a manta de 200 metros tricotada ao longo de um ano pelas senhoras da União Brasileira de Credores de Precatórios. A manta seria usada para ''''abraçar'''' o prédio do Senado Federal, no lançamento do Movimento Nacional Contra o Calote Público, mas agora a Fiesp, o Sinicesp e a OAB, que o organizavam, decidiram adiá-lo em sinal de luto. A presidente da entidade gaúcha, Júlia Camargo, e mais nove senhoras, que há vários anos esperavam inutilmente o pagamento dos que lhes deve o governo, morreram no desastre, sem saber se será ou não aprovada a emenda de Renan Calheiros que autoriza os governantes a postergarem ainda mais o pagamento da dívida líquida e certa dos precatórios, que hoje somam R$ 62 bilhões.Grampo oficialO advogado Cid Vieira de Souza Filho encontrou uma brecha na legislação para proteger clientes que acreditam estarem sendo vítimas de grampos, já que uma avalanche de pedidos andam sendo concedidos pela Justiça. Ele recorreu ao Judiciário para saber se determinada autoridade estava sendo investigada e se havia sido expedida autorização de interceptação telefônica. Diz o advogado que o juiz é obrigado a informar tanto a investigação quanto o grampo. Se negar ou se recusar, mais à frente, durante um processo, o advogado poderá pedir a nulidade da prova conseguida desta maneira. Vieira de Souza anda estudando o assunto, e deve lançar até o fim do ano o livro A Paranóia do Grampo.Nova bibliotecaJosé Armênio de Brito Cruz e Renata Semin, do escritório Piratininga Arquitetos Associados, comemoram a assinatura do contrato com a Prefeitura que dará início, em agosto, à reforma da Biblioteca Mário de Andrade. Finalmente!A gente ouve falar disso, com maquete pronta e tudo, há um bom tempo. Os arquitetos são autores do projeto, que prevê a recuperação e a modernização do edifício da biblioteca, que é segunda maior do País, que ganhará uma nova e moderna entrada pela fachada que dá na praça Dom José Gaspar. As obras devem durar cerca de ano e meio e o prédio permanecerá fechado para visitação durante este período.Barão revisitadoO Barão Vermelho volta a tona este ano. No fim do mês, chega às lojas o DVD Barão Vermelho Ao Vivo no Rock''''n Rio, com o show da banda na primeira edição do Rock''''n Rio, em 85. Além disso, a Som Livre relança o primeiro CD do grupo, de 82, remixado. E para completar, a Editora Globo lança, até o fim do ano, a biografia do grupo.O livro revelará que Cazuza pensou em deixar a banda antes do terceiro disco, Maior Abandonado, de 84. Frejat foi o responsável por demovê-lo da idéia. Na verdade, àquela altura, Cazuza pensava em deixar mesmo de ser cantor - ele já havia abandonado outras tentativas profissionais, como produtor, fotógrafo e ator. A pilha de Frejat e, meses depois, o estouro de Pro Dia Nascer Feliz, na voz de Ney Matogrosso, garantiu a continuidade da carreira artística do cantor.miúdasAniversário de Pink Doria, Maria Eugênia Lattes Abdalla, Luciana Vicenzotto, Helinho Pires, Nicolau Sarquis, José Renato de Freitas Nalini, Octavio Garbi e Fabio Porchat.A Academia Paulista de Letras faz homenagem ao acadêmico Nilo Scalzo, que morreu no domingo, em sessão especial presidida por Renato Nalini.A Mattel do Brasil inaugura a exposição Barbie pelo Mundo, no Senac Lapa Faustolo.Rubens Ewald Filho e o jornalista Luiz Carlos Merten comandam bate-papo sobre o espanhol Pedro Almodóvar, na Fnac Paulista, quando será lançado o box Coleção Almodóvar.Wagner Horta lança o Guia das Profissões 2008, na Livraria Cultura do Market Place.Marcelo Cohen abre a exposição Diversidade, na Galeria de Arte da Hebraica.É hoje a abertura da mostra Matinê - Colagens e Esculturas, do artista argentino Eduardo Schamó, na Reserva Cultural.Jair Gabriel, considerado o mestre do pontilhismo, faz vernissage da exposição O Destino é Ser Feliz, no Hotel Sonesta Ibirapuera.Vera Mattos e Daniel Sampaio passam a servir almoço no Salommão Bar. A casa, restaurada e adaptada, é uma das mais antigas da Avenida Angélica.A artista plástica paulista Baby Grass abre mostra individual, no Grand Hotel Miramare, em Liguro, na Riviera italiana.O português João Pedro Vale acaba de ser incluído no elenco de artistas da Galeria Leme.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.