Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Reprodução
Reprodução

Pérolas recuperadas do cinema chegam a São Paulo

Mostra no CCSP e Cine Olido exibe obras raras da sétima arte de diretores conhecidos e outros nem tanto

Carolina Spillari, do Estadão.com.br,

31 de janeiro de 2011 | 11h00

O Centro Cultural São Paulo (CCSP) e a Galeria Olido apresentam a partir do dia 1º de fevereiro filmes raros restaurados pela Cinemateca de Bolonha, na Itália, organizadora do Festival Il Cinema Ritrovato, dentro do Festival A Imagem Reencontrada.

 

O coordenador do festival Guy Borlée estará em São Paulo nesta terça-feira, 2, para falar sobre a preservação da memória do cinema, dos 25 anos do festival e das atividades da cinemateca. "A seleção dos filmes para as mostras de São Paulo reúnem algumas das melhores restaurações, do arquivo de Bolonha e da Fundação Mundial de Cinema", disse o curador da mostra e coordenador do Festival Il Cinema Ritrovato, Guy Borlée, por e-mail.

 

Além de Borlée, será convidado para a palestra, às 19h30 no CCSP, o crítico de cinema Luiz Carlos Oliveira, da revista eletrônica Contracampo.

 

A seleção engloba diretores mais conhecidos como Federico Fellini, Pier Paolo Pasolini e Sergio Leone e outros menos famosos como o alemão G.W. Pabst e o senegalês Djibril Diop Mambety.

 

Cada filme restaurado carrega consigo os esforços feitos por pessoas ligadas aos cinema, famílias e países em torno da recuperação do registro de uma época. "Nós restauramos filmes para torná-los aptos para uma ampla audiência, na melhor qualidade possível. Esta é a principal missão de todos os arquivos no mundo. Nossa escolha visa mostrar a variedade do nosso trabalho, clássicos conhecidos e também filmes esquecidos que merecem ser exibidos", explica Borlée.

 

O Festival. Il Cinema Ritrovato produz grandes eventos como exibições ao ar livre na Piazza Maggiore e em Sotto le Stelle del Cinema e já se tornou o festival mundial das cinematecas. Em um ano, mais de 180 mil espectadores chegam a assistir mais de 1.500 filmes.

 

Sinopses. O mexicano Redes (1936: 35mm, 61') foi achado em Paris pelos nazistas e queimado. Segundo o diretor Fred Zinnerman, a película fez parte de um plano do Departamento de Artes do governo para educar os analfabetos do País.

 

Do mais conhecido diretor Federico Fellini A Trapaça (Il Bidone - Itália e França, 1955: 35mm, 112') conta a história de três vigaristas desiludidos que passam a viver de pequenos golpes. O longa foi restaurado em 2001 em colaboração com a Fundação Fellini.

 

Concebido pelo também diretor italiano Ermanno Olmi, O Posto (Il Posto - Itália, 1961: 35mm, 90') mostra a desumanização no setor corporativo a partir de Domenico, um jovem que vai a Milão procurar emprego e encontra esperança na perseverante Antonietta. A obra foi premiada com o David di Donatello de Melhor Diretor em 1962 e com o prêmio da Crítica em Veneza (1961). Sua restauração ocorreu em 2002.

 

De Pier Paolo Pasolini, Notas para uma Oresteia Africana (Appunti per um'Orestiade Africana, Itália, 1970: 35mm, 71') mostra "o que aconteceu com o fim do colonialismo nos anos 1960", descreve o curador Guy Borlée. Para o Centro de Estudos de Paolo Pasolini, é uma "busca pela forma 'inacabada', um misto entre o estilo diário e o documentário antropológico".

 

Fascismo. Outra restauração da Cinemateca de Bolonha feita em 2009, que será exibida pelo CCSP e pelo Cine Olido, é obra de Sérgio Leone: Quando Explode a Vingança (Giù la testa, Itália, 1971: 35mm, 153'). Neste longa, o Leone usa o western como pano de fundo para falar de eventos ocorridos na Itália durante a luta contra o fascismo como a descoberta de 350 corpos de judeus e a fuga de Mussolini.

 

 

 

 

 

 

A preocupação política também é a marca de De Volta À África (Come Back, Africa, EUA, 160: 35mm, 95'). A película, de Lionel Rogosin, aborda o apartheid na África do Sul e sua influência na vida de cidadãos comuns e celebridades como a cantora Miriam Makeba.

 

Sem seguir uma sequência linear, Touki Bouki (Senegal, 1973: 35mm, 88') conta o saga de dois jovens namorados que buscam a liberdade longe de Dakar, sua terra natal. Falado em wolof, sua restauração foi feita em 2008.

 

Questões femininas. O longa alemão A Caixa de Pandora (Die Büchse der Pandora, Alemanha, 1928: 35mm, 133') busca inspiração no dramaturgo expressionista alemão Frank Wedeking (O Espírito da Terra, 1893) e A Caixa de Pandora (1901), segundo com o diretor do Centro Nacional de Pesquisa Francesa, Michel Marie. O filme discute a moral e o papel da mulher que luta contra os tabus da sociedade, o que provocou escândalo na época e adulteração da cópia pela censura. A dançarina libertária Lulu é vivida por Louise Brooks.

 

Outro filme da década de 1920 que integra a mostra é Maciste no Inferno (Maciste All'Inferno, Itália, 1926: 35mm, 95'), de Guido Brignone, inspirado no Inferno de Dante. Maciste é um personagem mitológico que acaba sendo transformado em um demônio após ser seduzido por uma rainha em um cenário de inferno barroco e sensual.

 

Curtas. Duas coletâneas de curtas Il Mondo Perduto - Programa 1 e 2 fecham o programa. Fazem parte da primeira leva O Tempo do Peixe-espada (Lu Tempu de li Pisci Spata, Itália, 1954: 11'), Ilhas de Fogo (Isole di Fuoco, Itália, 1955: 11'), Enxofre (Surfarara, Itália, 1955: 10'), Páscoa na Sicília (Pasqua in Sicilia, Itália, 1955: 11') e Parábola de Ouro (Parábola d'oro, Itália, 1955: 10'). Il Mondo número 2 reúne Barcos de Pesca (Pescherecci, Itália, 1958: 10'), Pastores de Orgosolo (Pastori di Orgosolo, Itália, 1958: 11') e O Esquecido (I Dimenticati, Itália, 1959: 20').

 

Promovida pela Secretaria Municipal de Cultura, a mostra acontecerá até o dia 13 de fevereiro em dois cinemas. No CCSP em sessões às 18h e às 20h (mais detalhes no site), e no Cine Olido às 17h e 19h30. O valor da entrada será de R$ 1,00

 

 

Programação na Galeria Olido

 

Terça-feira, dia 1º, às 19h30

A Trapaça

 

Quarta-feira, dia 2, às 17h

Touki Bouki

19h30

Quando Explode a Vingança

Quinta-feira, dia 3, às 17h

O Posto

19h30

De Volta À África

Sexta-feira, dia 4, às 17h

Maciste no Inferno

19h30

A Caixa de Pandora

 

Sábado, dia 5, às 17h

Il Mondo Perduto - Programa 1

19h30

Notas Para Filmar Orestes na África

 

Domingo, dia 6, às 17h

Il Mondo Perduto - Programa 2

19h30

Redes

 

Terça-feira, dia 8, às 19h30

O Posto

 

Quarta-feira, dia 9, às 17h

Notas Para Filmar Orestes na África

19h30

A Trapaça

 

Quinta-feira, dia 10, às 17h

Redes

19h30

A Caixa de Pandora

 

Sexta-feira, dia 11, às 17h

De Volta a África

19h30

Il Mondo Perduto - Programa 2

 

Sábado, dia 12, às 17h

Il Mondo Perduto - Programa 1

19h30

Touki Bouki

 

Domingo, dia 13, às 17h

Maciste no Inferno

19h30

Quando Explode a Vingança

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.