Pernambuco Mix agita o Recife

Começa sábado o Pernambuco Mix, um festival de música, artes plásticas, fotografia, moda e teatro que pretende ser uma vitrine da produção artística contemporânea do Estado. O principal objetivo do evento, segundo o seu produtor executivo, Rodrigo Moreda, é difundir o que há de melhor no panorama cultural pernambucano.Nesse contexto, as atrações de fora - Fernanda Abreu, Skank e Gabriel Pensador - deverão funcionar como iscas, como "uma armadilha para atrair o grande público", a fim de fazê-lo entrar em contato com o trabalho dos artistas locais. "Queremos formar público, mostrar ao pernambucano o que Pernambuco tem de bom", explica Moreda, adiantando que no próximo ano o festival será levado para São Paulo, Rio e Brasília. As datas ainda não estão definidas.As maiores atrações musicais da terra são Lenine, Mestre Ambrósio e as bandas Mundo Livre S/A e Nação Zumbi. Via Sat, Jorge Cabeleira, SOS Rock e o Maracatu Estrela Brilhante e Edmílson do Pífano completam a programação, que oferece ainda a tenda eletrônica, a partir da meia-noite, com um som comandado por DJ´s convidados - o cubano Djoy de Cuba, os paulistas Paula e Xerxes de Oliveira e o mineiro Anderson Noise - e locais (Big, Bruno Pedrosa e Bruno Vieira).Os shows ocorrem sábado e domingo, sempre a partir das 19 horas, no Classic Hall, uma casa com capacidade para 15 mil pessoas localizada na fronteira entre Recife e Olinda. No mesmo espaço será instalado o Mercado Pop, uma feira alternativa de roupas, calçados, jóias e peças de decoração não convencionais.As oficinas de teatro, gratuitas, também se realizam neste período, no Mercado Eufrásio Barbosa, em Olinda. Duas peças - Cadê Ascenso? e A Propaganda do Matuto - serão representadas às 15 horas no local, com entrada franca. No primeiro espetáculo são interpretados personagens dos poemas do pernambucano Ascenso Ferreira. O segundo tem texto inspirado na literatura de cordel.A exposição de artes plásticas fica aberta até o dia 23, inaugurando o ateliê-galeria Núcleo de Artes e Experimentos (Nave) na Rua da Aurora, 533, no bairro da Boa Vista, no Recife, com obras de 11 artistas plásticos e 47 fotógrafos.Os ingressos para os shows custam R$ 15,00 (pista) e R$ 60,00 (camarote) e podem ser adquiridos no Classic Hall (fone 0--81-3427.7500).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.