Perfume com cheiro de hambúrguer vira sensação nos EUA

'Flame' tem o aroma do Whopper, o hambúrguer preferido dos americanos, e foi lançado pela rede Burger King

REUTERS

26 de dezembro de 2008 | 14h28

Alguns amantes de hambúrguer ficaram decepcionados no Natal por não conseguirem comprar um perfume lançado pela rede de lanchonetes Burger King que se tornou o presente mais difícil de achar. Há um site sobre o perfume feito com o aroma do Whopper, o nome do hambúrguer mais famoso nos Estados Unidos.A segunda maior cadeia de hambúrgueres do mundo lançou um perfume masculino chamado Flame especialmente para o Natal. A empresa descreve o produto como "a essência da sedução, com um toque de carne grelhada". A edição limitada de eau de Whopper era vendida exclusivamente nas lojas de cosméticos Ricky, em Nova York, por US$ 3,99 dólares (cerca de R$ 10,00), mas esgotou-se depois de alguns dias e era vendida no site de leilões eBay por até 70 dólares o vidro com 5ml. Luis Bejaran, gerente da Ricky, disse à Reuters Television que a fragrância se tornou um sucesso entre aqueles que procuravam o presente perfeito para o Natal. "É muito popular. As pessoas continuam vindo às lojas e pedindo o produto. Ele está esgotado, mas teremos mais em fevereiro", disse Bejaran, que afirmou ter recebido ligações de clientes desesperados. "Um rapaz telefonou... ele estava muito, muito ansioso. Quando dissemos a ele que não tínhamos o produto, ele disse: 'O quê? Você não tem o perfume que cheira a cheeseburger? Minha namorada quer que eu o use. O que eu vou fazer agora? Esfregar um cheeseburger em mim?'" Mas nem todo mundo, é claro, gostaria de cheirar a hambúrguer. "Acho que, quando você vai a uma lanchonete e volta para casa cheirando a hambúrguer, é algo ruim. Então, sair às compras querendo comprar este cheiro, não é uma boa idéia. Talvez existam casais por aí que gostem disso - mas, definitivamente, isso não é pra mim", disse a nova-iorquina Kyle Graham. (Por Belinda Goldsmith)

Tudo o que sabemos sobre:
ODDPERFUMEHAMBURGUER*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.