Pelo lavabo dourado

O melhor: Iguatemi, em limpeza, beleza e conforto. O pior: Metrô Tatuapé, por causa da sujeira e do péssimo estado de conservação

16 de abril de 2008 | 19h05

Não há como negar que entrar em um banheiro limpo, cheiroso e bonito faz qualquer um esquecer que ali é um banheiro. E é justamente essa sensação que os banheiros do Iguatemi passam. Por isso, além de conquistar o título de shopping mais chique, o Iguatemi também é o primeiro colocado entre os toaletes. A limpeza chega a ser impressionante, principalmente quando se leva em consideração que trata-se de um banheiro público. O mármore do piso e das paredes está sempre brilhando, o cheiro é bom e não há manchas nos espelhos nem papéis pelo chão. Mesmo as lixeiras vivem vazias. Além disso, os toaletes são espaçosos e decorados com imponência. As cabines têm cabide para bolsa, prateleiras e espelho próprio.  Nas pias, as saboneteiras funcionam por sensor e luzes de camarim estão dispostas em volta dos espelhos. Por outro lado, os banheiros do Shopping D, Metrô Tatuapé, Tamboré, Bonsucesso, Capital e ABC Plaza não apresentam nenhuma das características do Iguatemi. Muito pelo contrário. A maioria tem cabines apertadas, daquelas em que mal se consegue fechar a porta sem subir na bacia sanitária, e pecam demais no cuidado com a higiene . Em todos, as lixeiras transbordavam de papéis, que se espalhavam caoticamente pelo chão. Mas se é preciso eleger o campeão da sujeira, o troféu vai para o Tatuapé, mais especificamente para o banheiro próximo à praça de alimentação. Se não bastassem a fila e a sujeira, duas pias entupidas faziam a água transbordar. Nota zero em limpeza e conservação. No Paulista, toaletes que merecem cinco estrelas Se há um shopping que pretende disputar de igual para igual o título de melhor banheiro no ano que vem, certamente este é o Paulista. Nem todos os toaletes já foram reformados, contudo a transformação nos que estão prontos é impressionante: o vermelho deu lugar a uma decoração mais clean e há até ante-sala. Caminho das pedras Encontrar o banheiro pode ser uma aventura em alguns shoppings. No Metrópole, em São Bernardo do Campo, é preciso subir vários degraus para achá-lo. Mas nada se compara ao extenso e tenebroso caminho para o toalete do Nações Unidas. O cliente é obrigado a atravessar um corredor com vários tubos de PVC presos à parede, passar pela série de telefones públicos para, só então, encontrar o banheiro lá na esquina.  Espelho embaçado A reforma já terminou e o Shopping Penha esqueceu-se dos banheiros. Espelhos antigos e embaçados dão a impressão de sujeira.  Para relaxar Ir ao banheiro do Higienópolis também pode ser sinônimo de descanso. Há confortáveis sofás na ante-sala.  Banheiro claustrofóbico Muita atenção nos banheiros do Shopping Ibirapuera. Dependendo do toalete escolhido, o baixíssimo teto pode causar grande desconforto. Lugar de lavar cabelo é no salão Pelo visto, lavar o cabelo em pia de shopping é mais comum do que se imagina. Ou então não haveria motivos para o Center Lapa colocar placas de proibição em seus banheiros.  O pesadelo dos secadores de mão Secadores automáticos de vento são o pesadelo de qualquer banheiro. Metade das pessoas prefere ir embora com as mãos molhadas a esperar a ação do ar quente, que é extremamente demorada e nunca seca perfeitamente. Melhores são os shoppings que têm papel toalha de saída automática, como o Jardim Sul, o SP Market e o Interlagos. Teste do papel higiênico Por levar o título de melhor banheiro de shopping, se esperava mais do papel higiênico do Iguatemi. Áspero e muito fino, ele não condiz com o perfil do público freqüentador.  Macio Em contrapartida, o papel dos toaletes do Bourbon foi o melhor encontrado. Bastante macio e com folhas duplas, ele foi o que mais se aproximou dos que se costuma usar em casa.  Proibido beijos e amassos Os freqüentadores do Frei Caneca não devem estar se comportando como mandam os bons costumes. Ou haveria outra razão para a placa ao lado? Logo na estréia Era apenas o segundo dia de funcionamento do Bourbon, mas os banheiros já apresentavam problemas. Boa parte das portas das cabines estava com o pino de tranca quebrado.  Retire a senha Parece até fila de banco. Tentar usar o banheiro em horários de pico é complicado nos shoppings Light, Santa Cruz e Tatuapé. Alguns têm gente demais, outros têm banheiros de menos.  Cadê o bebedouro? Iguatemi, Ibirapuera e Santa Cruz tiveram a brilhante idéia de colocar o bebedouro de água dentro do banheiro, em vez de deixá-lo do lado de fora, como fazem os outros shoppings. Não só eles são mais difíceis de encontrar como aumentam as filas nas portas dos sanitários. De olho na catraca Se você nunca pagou para usar um banheiro de shopping é porque ainda não foi ao Light. Mulheres, homens e até crianças precisam desembolsar R$ 0,50 para poder entrar - mesmo que seja apenas para ajeitar o cabelo na frente do espelho ou retocar o batom. E não adianta tentar dar um ‘jeitinho’ de driblar a cobrança, pois há sempre um segurança de olho na catraca.

Tudo o que sabemos sobre:
Guia de Shoppings

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.