Pelé, Ilda e curtas de qualidade mais que comprovada

Brasil pode não ter filmes longos em nenhuma das seções do Festival de Cannes de 2013, mas isso não significa que os brasileiros deixarão de brilhar na Croisette

O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2013 | 02h07

Diretora do Festival do Rio, Ilda Santiago está preparando seu longo, porque a tenue de soirée é obrigatória para todos os júris. Ela integra o da mostra Un Certain Regard, presidido por Tomas Vinterberg e, pelo menos por uma noite, será obrigatória a montée des marches - a subida das escadaria do 'palais'. O Brasil pode não ter filmes longos em nenhuma das seções do Festival de Cannes de 2013, mas isso não significa que os brasileiros deixarão de brilhar na Croisette.

De cara, na quinta, dia 16, Edson Arantes do Nascimento voltará à Croisette para promover o filme que conta sua vida - a de Pelé, o atleta do século 20 -, segundo projeto anunciado pela revista Variety. Com estreia prevista para o início da Copa do Mundo no Brasil, em julho de 2014, o filme será dirigido pelos irmãos Jeff e Michael Zimbalist. Jeff já fez um documentário sobre o AfroReggae, Favela Rising. O desafio dos irmãos será tão grande quanto o de Baz Luhrmann, que assina o filme de abertura - O Grande Gatsby. Assim como o romance de Scott Fitzgerald já teve três adaptações anteriores que não fizeram justiça à grandeza do livro, Pelé, que filmou até com um diretor com o prestígio de John Huston (Fuga para a Vitória), nunca teve um filme à altura do seu mito.

Como tem ocorrido nos últimos anos, Cinema do Brasil monta seu estande no mercado e promove sessões para compradores de produções recentíssimas, incluindo a Elena de Petra Costa, em exibição nos cinemas do País. E, claro, existem os curtas. No Cine PE, Festival de Audiovisual do Recife, a crítica foi unânime em destacar que, apesar de algumas exceções - os longas Vendo ou Alugo, de Betse de Paula, e Bonitinha mas Ordinária, de Moacyr Goes -, a seleção de curtas foi mais ousada e até diversificada.

Os curtas Pátio, de Aly Muritiba, premiado no É Tudo Verdade, e Pouco Mais de Um Mês, de André Novais Oliveira, foram selecionados para as seções paralelas Semana da Crítica e Quinzena dos Realizadores. Outros curtas nacionais estarão no Short Film Corner, um espaço que Cannes criou para estimular o encontro e a troca de informações entre curta-metragistas de todo o mundo./ L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.