Pela 3ª vez no Brasil, Maná lança CD 'Arde El Cielo'

Eles explodem corações com a mesma força que tentam transportar suas mensagens políticas ao seu público. Já homenagearam Chico Mendes no álbum ''Los Ángeles Lloran'' e agora pregam pela independência de Porto Rico. Poderiam soar panfletários não fosse a alquimia correta entre a mensagem, o pop, o rock e a música latina. Pela terceira vez no Brasil, o Maná vem, desta vez, não para brigar pelos índios ou pelas terras da Amazônia, mas sim para lançar mais um disco ao vivo, ''Arde El Cielo''.Formado no ano de 1986, em Guadalajara, pelos amigos Fher Olvera (vocal), Alex González (bateria) e Juan Calleroso (baixo), o grupo saiu das cinzas do Sombrero Verde, banda que pertencia a Fher e aos irmãos Calleroso. Vinte e dois anos depois, já soma premiações como três Grammys, cinco Grammys Latino e mais cinco Billboard Latin Music Awards.?O Brasil tem uma cultura tão rica. Sou fã dos Paralamas do Sucesso e do Olodum. Sempre ficamos muito ansiosos para tocar no seu País?, disse o músico Alex Gonzáles, conhecido pelo apelido de El Animal, que em 1997 foi considerado o melhor baterista da América Latina pela revista americana Modern Drummer.O Maná fará dois shows em São Paulo, amanhã e quinta-feira, no Credicard Hall. Segundo Alex, os shows terão duração de duas horas e conterão todos os hits da banda. Além de sucessos como ?Bendita Su Luz? e ?Vivir Sin Aire?, o segundo disco ao vivo do Maná traz duas inéditas: ?Si No Te Hubieras Ido? e ?Arde el Cielo?, gravadas em estúdio. As informações são do Jornal da Tarde.Maná. Credicard Hall. Av. Nações Unidas, 17.955, Santo Amaro, São Paulo. Tel. (011) 6846-6010. Amanhã (4) e quinta-feira (5), às 21h30. Ingressos: entre R$ 80 e R$ 300. Censura: 16 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.