Pela 1a vez, poeta-laureada da Grã-Bretanha é uma mulher

Carol Ann Duffy foi nomeada na sexta-feira poeta-laureada da Grã-Bretanha. É a primeira vez que uma mulher é escolhida para esse cargo da corte, que existe há 341 anos.

MIKE COLLETT-WHITE, REUTERS

01 de maio de 2009 | 11h20

A poetisa de 53 anos, nascida em Glasgow (Escócia), disse que refletiu "longa e duramente" sobre aceitar a honraria, vista por alguns como um cálice envenenado, devido ao escrutínio público que lhe acompanha.

"Vejo-o como um reconhecimento das grandes poetisas que temos escrevendo atualmente", disse Duffy à rádio BBC. "Decidi aceitá-lo por essa razão."

Os poetas-laureados em geral compõem versos para homenagear grandes ocasiões de Estado e outros eventos nacionais.

O posto já foi ocupado por John Dryden, William Wordsworth e Ted Hughes, entre outros. Costumava ser vitalício, mas Duffy, a exemplo de seu antecessor Andrew Motion, só irá ocupá-lo por dez anos.

A poetisa já havia sido cogitada em 1999, mas foi preterida em favor de Motion, de acordo com relatos da imprensa local, porque havia preocupações com relação à reação da opinião pública a uma poeta-laureada que é lésbica.

Duffy é provavelmente mais conhecida por sua coletânea "The World's Wife" ("A esposa do mundo", 1999), em que fala sobre as mulheres por trás dos grandes homens da história.

Várias outras coletâneas suas foram premiadas. Outros destaques incluem "Standing Female Nude" (1985), "Mean Time" (1993), "Feminine Gospels" (2002) e "Rapture" (2005).

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEDUFFYPOETALAUREADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.