Pedras de Naomi Campbell são diamantes, diz polícia sul-africana

Pedras preciosas brutas recebidas pela modelo Naomi Campbell após um jantar beneficente em 1997, com o então presidente sul-africano Nelson Mandela, são diamantes reais, disse neste domingo a polícia.

REUTERS

08 de agosto de 2010 | 13h24

Os diamantes foram retirados de Campbell por Jeremy Ratcliffe, ex-gerente da instituição beneficente Fundo Mandela para as Crianças, um dia depois de a modelo recebê-los. Ele temia que a britânica pudesse incorrer em crime ao levar as pedras para fora da África do Sul.

Campbell disse ao Tribunal de Haia, no julgamento do ex-governante da Libéria Charles Taylor, que ela recebeu algumas "pedras com aparência ruim" após o jantar beneficente. Mas afirmou que não sabia que se tratava de diamantes de guerra ou se o doador não identificado era Taylor.

Mosa Zondi, porta-voz da unidade investigativa da polícia sul-africana, afirmou que testes comprovaram que as pedras eram diamantes.

"Elas foram classificadas como diamantes", afirmou Zondi, acrescentando que a polícia iniciou uma investigação sobre as pedras para determinar sua origem. É crime na África do Sul ter posse de diamantes brutos.

Ratcliffe entregou as pedras na quinta-feira, pouco após o testemunho de Campbell.

Taylor tem 11 acusações sobre si, incluindo assassinato, estupro, mutilação, escravidão sexual e recrutamento de crianças durante as guerras na Libéria e na Serra Leoa, nas quais mais de 250.000 pessoas foram mortas. Ele nega todas as acusações.

(Reportagem de Marius Bosch)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTENAOMIDIAMANTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.