Pedida mudança de horário para João Kleber

O Ministério Público de São Paulo pediu que, em 60 dias, a Secretaria Nacionalde Justiça do Ministério da Justiça altere o horário do programa apresentado por João Kleber, na Rede TV. O programa já tinhasido classificado como o pior da televisão, segundo pesquisa realizada pela campanha "Quem financia baixaria na TV é contracidadania", da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Os promotores Vidal Serrano Nunes Junior e Motauri Ciocchetti de Souza afirmam, no requerimento enviado à secretáriaNacional de Justiça, Claudia Chagas, que o programa inclui "cenas de violência, temas sexuais e desvirtuamento e banalizaçãode valores éticos, em notória discrepância ao seu horário de exibição, qual seja, antes das 20 horas". Para os promotores, oprograma de João Kleber "comercializa a dignidade da pessoa humana".O deputado Orlando Fantazzini (PT-SP), coordenador da campanha contra baixaria na TV, considerou a decisão dos promotoresos "primeiros frutos" do trabalho da comissão. "Não deveríamos ter programas que humilhem seres humanos, mas as emissorasexibem o que bem entendem", lamentou o deputado. Segundo ele, falta legislação para controlar a qualidade dos programas e a única alternativa disponível é a classificação de horário por faixa etária, realizada pela secretaria da Justiça. Fantazzini explica que a campanha contra baixaria tenta convencer os patrocinadores a não financiar programas de baixaqualidade. No ranking de denúncias feitas à comissão, o pior programa foi o de João Kleber, seguido pelos programas do Ratinho,Gugu Liberato, Sérgio Malandro e Faustão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.