Peças escritas pelo americano Levine no CCSP

Seis histórias divertidas e talvez improváveis de ocorrerem na vida real serão oferecidas ao público, a partir de hoje, como Aperitivos - nome do espetáculo que estréia no Centro Cultural São Paulo. Escritas pelo americano Mark Harvey Levine, as seis peças têm de 10 a 15 minutos cada uma e apresentam situações incomuns, como um namorado alugado para fazer companhia a uma amiga solitária, em O Aluguel, ou um casal que, ao acordar, percebe que tudo o que farão durante o dia já está escrito num roteiro, em Roteirizado. É a primeira vez que os textos de Levine são mostrados em palcos brasileiros. Isso se deve ao trabalho da Pausa Companhia, de Curitiba, formada em 2004. "Perseguíamos duas idéias: encontrar autores contemporâneos que conseguem traduzir o que vivemos hoje e montar peças com ritmo e velocidade", conta o diretor de Aperitivos, Márcio Mattana. Foi a atriz Renata Hardy - que atua no espetáculo com Rodrigo Ferrarini, Andréa Obrecht e Gabriel Gorosito -, quem encontrou a coletânea de textos The Best 10 Minutes Plays e trouxe-a para o grupo de estudos. "Nesse livro havia a peça Roteirizado, de Levine. Gostamos e decidi escrever um e-mail para ele, que vive em Los Angeles, e que me respondeu depois de uma semana enviando mais oito peças", relembra Renata. Segundo o elenco, Levine tem mais de 175 peças escritas, mas apenas Roteirizado havia sido publicada. "O Levine foi o nosso padrinho. Ele nos ajudou na tradução de algumas gírias e está muito curioso para assistir ao nosso trabalho", diz Mattana, que está preparando um vídeo para enviar ao dramaturgo. Das nove peças a que tiveram acesso, eliminaram três, por diferentes motivos - O Brejo tinha um tema muito adolescente, A Vaca Pródiga, um humor muito americano, e Corrida de Táxi para Um Homem Comum, por necessitar de 12 atores em cena. Mattana e os atores realizaram uma temporada de pré-estréia do espetáculo, em agosto em Curitiba. Aperitivos, cujas peças curtas têm começo, meio e fim, fica em cartaz em São Paulo até o dia 26 de março. Antes, no período de 20 e 23 de março, a Pausa Companhia levará Aperitivos para o Fringe, a mostra paralela do festival de teatro de Curitiba. "No dia 24 já estaremos de volta para o último fim de semana do espetáculo em São Paulo", observa o diretor. As seis peças - O Aluguel, Surpresa, Aperitivos, Super-Hero, Tons e Roteirizado - serão ligadas entre si pelos atores interpretando garçons "servindo" a platéia. No cenário, elaborado por Teca Fichinski (Prêmio Shell de 1993 por Um Futuro Dura Muito Tempo), apenas objetos simples e imprescindíveis às peças - uma cama, um despertador, uma mesa, um taco de beisebol, uma cesta de piquenique. A iluminação é de Beto Bruel (Prêmio Shell de 2001 por A Memória de Água e indicações por Como Aprendi a Dirigir Um Carro, A Vida É Cheia de Som e Fúria e Avenida Dropsie) e os figurinos são de Maureen Miranda, também atriz.(324 lug.). Aperitivos. 80 min. 14 anos. Centro Cultural São Paulo - Sala Jardel Filho. R. Vergueiro, 1.000, Paraíso, 3277-3611, metrô Vergueiro. Hoje e amanhã, 21h00; dom., 20h00. R$ 12. Até 26/3. Estréia hoje

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.