Peça traça saga das pessoas que vivem a guerra

Os Sete Afluentes do Rio Ota, espetáculo do canadense Robert Lepage, dirigido por Monique Gardenberg, com cinco horas de duração, estréia neste sábado para convidados e no domingo para o público. Tem no elenco Maria Luiza Mendonça, Giulia Gam, Beth Goulart, Caco Ciocler, Helena Ignês e Pascoal da Conceição, entre outros.A guerra é tema central da peça de Lepage. A peça trata das conseqüências de um conflito armado sobre os envolvidos de ambos os lados. Tanto que a primeira cena se passa em 1945, em Hiroshima, alguns meses depois da explosão da bomba atômica, e aborda a relação entre Luke O´Connor (Caco Ciocler), um soldado americano e Nozomi (Beth Goulart), uma jovem habitante de Hiroshima. Ele integra a equipe do ´esforço de reconstrução´ da cidade. Sua missão é tirar fotos do exterior e interior das casas, ou seja, fotografar a destruição. Mas vai vivenciar uma experiência transformadora ao entrar em contato com a jovem cujo rosto está totalmente deformado, efeito da bomba. Há ´reparações´ impossíveis. O estilo Lepage pode ser visto nessa primeira cena de grande beleza visual e forte teatralidade. Em nenhum momento vemos o rosto da moça. Teatralmente, ela aparece de costas, cabendo à imaginação do espectador a visão de seu rosto queimado. Mas utilizando recursos do teatro de sombra, a montagem convence o espectador da extrema beleza natural de Nozomi, agora deformada pela bomba. O encontro entre Jeffrey e Nozomi se dá no primeiro dos sete episódios da peça. A partir daí, viajamos no tempo e no espaço, acompanhando a saga de pessoas cujas vidas estão entrelaçadas pela guerra. No episódio seguinte, que se passa na cidade de Nova York em 1965, vamos encontrar o filho nova-iorquino de Luke, que faz amizade com um imigrante japonês, filho de Nozomi. Os cinco episódios que se seguem ocorrem em Osaka, 1970; Amsterdã, 1985; Hiroshima, 1986 e Polônia, 1943; Hiroshima, 1995 e, por último, Hiroshima, 2000. Os Sete Afluentes do Rio Ota. De Robert Lepage. Direção Monique Gardenberg. Duração: 5 horas (com intervalo de 20 min.). Sexta, às 21 horas; sábado, às 19 horas; domingo, às 18 horas. R$ 30,00. Teatro Sesc Anchieta. Rua Doutor Vila Nova, 245, tel. 3234-3000. Até 6/7. Estréia sábado para convidados e domingo para público

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.