Peça sobre Rita Lee a mantém no palco

Mel Lisboa fará papel da cantora, cujo último show, se aposentadoria se confirmar, será sábado

ROBERTA PENNAFORT / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de janeiro de 2012 | 03h10

Desde aquela adorável participação no Festival da Record, com os Mutantes, acompanhando Gil em Domingo no Parque, foram 45 anos pulando de palco em palco. A trajetória da menina de cabelos vermelhos e escorridos e coração desenhado na bochecha foi esquadrinhada no livro Rita Lee Mora ao Lado, do amigo Henrique Bartsch.

Recheada por sucessos, a "biografia alucinada da rainha do rock" deve chegar no segundo semestre ao teatro. Justamente agora que Rita anuncia que vai virar "rata de estúdio", e não mais de turnês. "Coragem para mudar e continuar. Nem só de palco vive a música, bebê", ela escreveu no Twitter - a cantora posta sobre o assunto desde sábado, quando fez o anúncio bomba num show no Rio.

Rita aprovou a escolha da atriz a interpretá-la: Mel Lisboa. "Vou fazer aula de canto e de violão. Tive uma fenda nas cordas vocais ano passado, não sou cantora, vou trabalhar forte", diz Mel, que está grávida de quatro meses e só deve estrear em outubro.

Elas se conhecem: sua mãe, a astróloga Claudia Lisboa, já atendeu a cantora em casa. "Admiro muito a Rita, ela é ousada, e muito importante para a música brasileira. Por ter dado o aval, espero que disponibilize material de pesquisa."

Quem toca o projeto do musical, há três anos, é o produtor Marcio Macena, que está renegociando os direitos de adaptação com o filho de Bartsch (ele morreu mês passado, depois de ter concordado). De posse da aprovação na Lei Rouanet, Macena vai começar a captação. A direção será de Debora Dubois e a supervisão musical, de Moska.

Dos Mutantes aos anos 90, da Bossa'N'Roll e da Santa Rita de Sampa, vão para o palco os companheiros de música que fizeram parte dessa história: os irmãos Baptista, Gil, Caetano, Roberto de Carvalho.

Rita fez 64 anos dia 31 de dezembro. A notícia da semiaposentadoria (ela já disse ter material para mais cinco CDs de inéditas, sendo que o próximo, Reza, está programado para março), pegou também Macena e Mel de surpresa. "Não sei se será bom ou ruim para a peça. Sei que Rita é uma estrela, não precisamos de um mote", acredita o produtor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.