Peça recria história de um Brasil real

O cineasta Djalma Limongi Batista é o diretor de Playground, peça de Dema de Francisco, que estréia amanhã no Teatro Studio 184. O namoro artístico entre o dramaturgo e o cineasta começou na estréia da peça anterior de Dema, Questão de Justiça, cujo ponto de partida foi o assassinato do índio Galdino.Dema aproximou vítima e assassino, ao colocar ambos como representantes da classe média em Questão de Justiça. "Limongi adorou o texto e até tentou adaptá-lo para o cinema", conta Dema. Se o primeiro projeto ficou frustrado por questões de produção, agora a parceria se realiza com Playground, mais uma vez inspirada num fato real.Desta vez, uma história familiar do autor. Há algum tempo, ele levou para casa um menino de 6 anos, abandonado pela mãe que resolveu tentar a vida na França. Aos 85 anos, a mãe de Dema assumiu a criação do garoto. Mais que isso, ambos estabeleceram uma relação no mínimo insólita. "Lembro de ter chegado em casa e ver os dois brincando num balanço, ela tornada criança novamente." Três anos depois, a mãe volta da França para buscar o menino, sob a alegação de que o governo francês oferecia US$ 600 mensais para cada filho em idade escolar.Essa é a história real. Para ampliar o conflito, Dema transformou o garoto no bisneto da personagem Cecília, interpretada por Dulce Muniz. Vietia Rocha interpreta Estela, a neta que vai para a França, abandonando o filho. E a atriz Irene Stefania, que participou de tantos filmes brasileiros importantes nos anos 60, volta aos palcos no papel de Nandinha, mãe da garota desmiolada. Bruno Albanez e Vinicius Ricci, ambos com 9 anos, revezam-se no papel do garoto Cauê.Playground - . De Dema de Francisco. Direção Djalma Limongi Batista. Duração: 90 minutos. De hoje a sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas. R$ 15,00. Teatro Studio 184. Praça Roosevelt, 184, tel. 258-0741. Até 29/7.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.