Peça ´Copo de Leite´ traduz conflitos da adolescência

Espetáculo do grupo Sobrevento curiosamente não terá um único boneco em cena

13 de julho de 2007 | 11h42

Criado em 1986, o grupo Sobrevento tem trajetória reconhecida pela qualidade de sua linguagem de teatro de bonecos e animação de objetos. Por isso, surpreende saber que o espetáculo O Copo de Leite, que estréia sábado, 14, no Sesc Ipiranga, é voltado para o público adolescente e não terá um único boneco em cena. Mas basta uma conversa com o diretor Luiz André Cherubini para entender que não é bem assim. Trata-se de um solo da atriz Sandra Vargas e seus gestos, todos eles criados a partir de uma pesquisa sobre o movimento dos bonecos.Com texto do argentino radicado no Chile Manuel Rojas, esse solo retrata de forma direta e simples um conflito típico de adolescente. Uma mãe abre a porta do quarto do filho que, visivelmente transtornado, a rejeita, quer ficar só. A mãe então lembra ter vivido situação semelhante e de como sua mãe agiu na época. "A gente trabalha sobre a idéia comum de que o adolescente faz tempestade em copo d´água", diz Cherubini."Acho que é importante quebrar mitos que são difundidos e até o adolescente acaba acreditando neles." Entre esses "lugares-comuns", ele cita a idéia de que eles sempre andam em grupo. "Muitos são profundamente solitários." Os que já apreciam o grupo devem ficar atentos, pois eles vão mostrar, no Sesc Ipiranga, quatro peças do seu repertório infantil: O Anjo e a Princesa, domingo e dia 22 de julho; Mozart Moments, dia 29; e O Theatro de Brinquedo, dia 5, sempre às 16 horas, também no Sesc Ipiranga.

Tudo o que sabemos sobre:
Copo de LeiteSobrevento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.