Peça com Denise Fraga estréia hoje

A dramaturga francesa Yasmina Reza não é uma desconhecida no Brasil. Ela é autora da peça Arte, cuja montagem, dirigida por Mauro Rasi, fez temporadas de sucesso no Rio e em São Paulo. Nessa comédia, Yasmina mescla arte e relações humanas usando como mote a pintura contemporânea - a compra de "um quadro totalmente branco" provoca acalorada discussão entre quatro amigos de infância, trazendo à tona anos de relacionamento. Uma nova peça da mesma autora estréia hoje, para convidados, no Teatro Renaissance - 3 Versões da Vida. Desta vez, a discussão gira em torno de conceitos da astrofísica, do estudo das galáxias, do cosmos. Mas o que está no centro da discussão, mais uma vez, é o comportamento humano. A montagem, dirigida por Elias Andreato, traz de volta aos palcos a atriz Denise Fraga, há sete anos afastada do teatro. Ela contracena com Marco Ricca, Ilana Kaplan e Mario Schoemberger.Não há papéis secundários nessa peça. Os quatro personagens são equivalentes em importância na trama. Denise vive Sônia, mulher do astrofísico Henrique (Ricca). Quando abre o pano, ambos estão em sua casa, às voltas com o filho de 6 anos que, já na cama pronto para dormir, resiste ao sono, e solicita ora um ora outro. Subitamente, essa situação prosaica - e explorada de forma cômica - é interrompida pela visita do casal Humberto e Inês (Ilana e Schöemberger). Havia um jantar combinado entre eles, mas Sônia e Henrique confundiram-se com a data e são pegos de surpresa. Entre amigos, tal confusão seria motivo de riso. Mas trata-se de uma relação profissional. Humberto é cientista, pesquisador, colega de profissão de Henrique, e seu superior na difusa hierarquia do mundo acadêmico. Não há intimidade. E não é possível jantar fora, por conta da criança. Começa aí uma noite inesquecível na vida desses casais.A autora conta a história desse encontro em três versões, daí o título. Ela repete as cenas da noite de três formas diferentes. O humor dá o tom na primeira versão. "Apesar do desconforto da troca de datas, da interrupção da criança, das rusgas entre os casais e da competição entre os homens, essa versão é ainda divertida", diz Andreato. "Na segunda, a coisa começa a piorar." Nesta versão, as pessoas falam aquilo que normalmente não falariam num encontro social. O humor é negro. "Aparentemente nada acontece na terceira versão. Mas é a pior de todas. É a versão mais sutil e mais cruel desse jantar", observa Andreato. "As limitações na carreira de Henrique, o caráter de Humberto, tudo é revelado nessa versão, da forma mais educada", observa o diretor. Para Andreato, a peça tem a estrutura de um jogo de xadrez, no qual gestos e olhares têm peso de palavras. "É um incrível jogo de atores criado por uma excelente autora. Dirigir bem, neste caso, é não atrapalhar."3 Versões da Vida. De Yasmina Reza. Direção Elias Andreato. Duração: 80 minutos. Sexta, às 21h30; sábado, às 21 horas; domingo, às 19 horas. R$ 40,00 e R$ 50,00 (sábado). Teatro Renaissance. Alameda Santos, 2.233, tel. 3123-1751. Até 21/12. Hoje, só para convidados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.