Peça aborda mitologia do homem do sertão

Ao primeiro olhar, associamos a imagem do vaqueiro tangendo gado sob a vastidão do céu sertanejo à idéia liberdade. Pois é justamente o recorte oposto, a clausura num mundo predominantemente masculino, que inspira o espetáculo Tauromaquia, da Cia. Teatro Balangan, dirigido por Maria Thaís, em cartaz no Teatro Sesc Anchieta. A surpresa inicial transforma-se em expectativa promissora quando se trata da criação dessa companhia, cuja poética alia seriedade, inteligência, humor e profundidade de pesquisa, responsável por espetáculos de grande beleza, e delicadeza, como A Besta na Lua e Sacromaquia. Este último tinha como tema a clausura feminina. E foi ao fim de temporada de Sacromaquia (sacro de sagrado; maquia de esforço para tornar-se) que surgiu a idéia de Tauromaquia. "Uma atriz deu-me de presente o livro Vaqueiros e Cantadores, de Câmara Cascudo, e logo nas primeiras páginas percebi que ali estava a clausura do masculino", lembra Maria Thaís. A abordagem do grupo nada tem a ver com a banal guerra dos sexos. "Homens e mulheres carregam essas duas forças. O estado de clausura é o de ausência do outro". A beleza estaria no equilíbrio dessas forças e no reconhecimento da sua diferença. "Embora não fosse a intenção inicial, acabamos chegando à abordagem mitológica, arquetípica. Não partimos dela, chegamos a ela". A equipe mergulhou num longo processo de pesquisa. O projeto ganhou o prêmio Residência, da Secretaria de Estado da Cultura, que propicia a grupos espaço para a criação na Oficina Cultural Oswald de Andrade. O grupo estudou várias mitologias - do Mahabaratha à Bíblia -, e também a cultura sertaneja. Com coordenação de Luís Alberto de Abreu, o texto final foi escrito por Alessandro Toller, a partir das improvisações dos atores sobre o universo pesquisado. O resultado, para o público, será acompanhar a viagem de um grupo de vaqueiros tangendo gado pelo sertão. Entre eles há um velho que faz sua última viagem (Breda) e um garoto que faz a primeira (Vinícius). No longo caminho, antigas e viris amizades se desfazem (Daniel Ribeiro e Cláudio Queiroz) e outras nascem (Sidnei Caria e Lucia Romano). Juntos, vão enfrentar obstáculos, perdas, mortes, e também vivenciar disputas internas e momentos de violência e outros de celebração. Tauromaquia - Teatro Sesc Anchiete, Rua Doutor Vila Nova, 245, 3234-3000. Sexta, 21 horas; sábado e domingo, 20 horas.R$ 20. Até 19/9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.