Paulo Goulart teve carreira repleta de parcerias fundamentais

Paulo Goulart teve carreira repleta de parcerias fundamentais

Ele é legítimo representante de uma geração de atores que abraçou o teatro de forma apaixonada.

Daniel Schenker, Especial para O Estado de S. Paulo

13 de março de 2014 | 21h05

Paulo Goulart é legítimo representante de uma geração de atores que abraçou o teatro de forma apaixonada. Ao longo de sua trajetória, travou parcerias determinantes. Foi dirigido por Henriette Morineau em encenações da companhia de Eva Todor (Eva e seus Artistas), por Antonio Abujamra, com quem estabeleceu sociedade no projeto do Teatro Livre, e por Ruggero Jacobbi, que se tornou padrinho de seu casamento com Nicette Bruno.

O elo artístico com Nicette é um capítulo à parte: Paulo participou de montagens do Teatro Íntimo Nicette Bruno e seguiu trabalhando com a mulher no decorrer da vida. Além dos espetáculos, Paulo e Nicette mantiveram o projeto do Teatro nas Universidades, por meio do qual levaram aos estudantes (em sessões acompanhadas de debates) não apenas os seus trabalhos como uma seleção de encenações da temporada.

Marcou presença em espetáculos importantes. Um deles, no Teatro dos 4, foi a primeira versão de Sábado, Domingo e Segunda, sob a direção de José Wilker, na qual interpretava Luis Ianello, o caloroso vizinho que causava ciúmes em Pepino Priore – personagem, inclusive, que assumiu na segunda montagem da peça do napolitano De Filippo, dessa vez ao lado de Nicette, assinada por Marcelo Marchioro.

A carreira de Paulo também reúne histórias divertidas, em especial no que se refere ao início. Basta dizer que subiu ao palco, pela primeira vez, aos 8 anos, vestido de bailarina. Estudante de química, ele ingressou no rádio contratado por Oduvaldo Vianna.

No correr dos anos, desenvolveu um percurso de autor teatral, faceta menos conhecida de sua jornada. Responsável ainda por personagens de destaque em diversas novelas de televisão, Paulo Goulart deu provas incontestáveis de versatilidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.