Reprodução
Reprodução

Paulo Coelho pede a leitores que pirateiem seus livros

Autor que já vendeu milhões de cópias em todo o mundo se juntou ao site de downloads Pirate Bay

estadão.com.br,

02 de fevereiro de 2012 | 15h32

SÃO PAULO - Paulo Coelho se uniu ao site de compartilhamento de arquivos Pirate Bay pedindo para os leitores piratearem seu livros, informou nesta quarta-feira, 1, o portal do jornal The Guardian. Vendedor de 300 milhões de exemplares de suas obras em todo o mundo, segundo o jornal, o escritor chamou os "piratas do mundo" a se unirem e copiarem tudo que ele já escreveu.

Em publicação em seu blog, Paulo Coelho comentou que aderiu a um projeto do Pirate Bay que ajuda a promover obras artísticas trocando o logo do site por um link para o trabalho do autor, acrescentando que a venda de seus livros estão crescendo desde que seus leitores começaram a compartilhá-las em sites de downloads, assinando o texto, em inglês, como "The Pirate Coelho".

O autor apoia o download ilegal de conteúdo desde que uma versão de um de seus maiores sucessos de venda, O Alquimista, foi liberado em versão em russo na internet em 1999. Segundo o The Guardian, 12 milhões de cópias do livro foram vendidas até hoje.

"Fiquem à vontade para baixar meu livros de graça e, se você gostar deles, compre uma cópia física - o jeito que nós encontramos de dizer à indústria que ganância não leva a lugar nenhum", publicou em seu blog.

Paulo Coelho está sendo elogiado pela iniciativa com comentários dos leitores no site. O autor também se manifestou recentemente contra o SOPA, projeto que pretende por fim à pirataria na internet.

 

"Àqueles velhos tempos, em que cada ideia tinha um dono, acabaram para sempre. Primeiro, porque o que todo mundo faz é reciclar os mesmos quatro temas: uma história de amor entre duas pessoas, um triângulo amoroso, a busca por poder e a história de uma jornada. Segundo, porque todos os escritores querem que o que eles escrevem seja lido, seja no papel, blog, panfleto ou numa parede", disse Coelho. "Quanto mais alguém pirateia um livro, melhor". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.