Paulo Coelho é eleito imortal da ABL

O escritor Paulo Coelho é o mais novo imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL). Ele foi eleito nesta tarde para a vaga número 21 da ABL com 22 votos. O outro candidato mais votado foi o cientista político HélioJaguaribe, que recebeu 15 votos. Um acadêmico votou nulo. Escreveu os nomes de Jaguaribe e Waldemar Cláudio dos Santos quejá concorreu sete vezes a uma vaga na ABL e recebeu seu primeiro sufrágio desta vez. Como é proibido votar em dois candidatos,o voto foi anulado. O historiador e jurista Raymundo Faoro que foi eleito para vaga de Barbosa Lima Sobrinho, mas ainda não tomouposse, compareceu à sessão, mas não participou do pleito. A eleição de Paulo Coelho foi rápida. Durou pouco mais de meia hora."Eu venho mais ou menos como nossa seleção, que começou desacreditada, chegou às finais e acabou vencendo. Mas é uma emoção muito grande. São 15 anos de literatura, mas a vida inteira, desde a adolescência, vivendo de escrever", disse o mais novo imortal da ABL. Coelho foi roteirista da Rede Globo e letrista dos maiores sucessos de Raul Seixas nos anos 70 e 80. A eleição começou às 16 horas em ponto, com a presença de 22 imortais. O presidente da Academia, Alberto Costa e Silva, não compareceu porque havia sido internado de manhã com problemas gástricos. O secretário-geral, o poeta Ivan Junqueira, presidiu a sessão, que teve ainda um retardatário, o cirurgião plástico Ivo Pitanguy, figura rara nos chás da Casa de Machado de Assis. O jurista e historiador Raymundo Faoro, que foi eleito para a vaga de Barbosa Lima Sobrinho, compareceu, mas não participou do pleito porque só toma posse em 10 de setembro, quando será saudado pelo advogado Evandro Lins e Silva. A posse de Coelho ainda não foi marcada e ele não escolheu quem fará o discurso de boas-vindas. Jaguaribe preferiu não comentar o resultado, embora a maioria dos acadêmicos tenha considerado sua votação expressiva. Ontem, em sua casa, ele não quis dizer se pretende candidatar-se de novo, até porque é a primeira vez, em pelo menos cinco anos, que a academia fica completa, com todas as 40 cadeiras ocupadas.Dê sua opinião sobre a eleição de Paulo Coelho para a Academia Brasileira de Letras no Fórum dos Leitores

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.