Paulo Coelho divulga em blog capítulo de seu livro

Encontrar um texto qualquer sobre bruxas na internet é uma questão de segundos. Assim como acessar um blog de algum autor anônimo, que abusa do espaço virtual para divulgar o seu trabalho. Mas a situação muda um pouco quando falamos de uma obra inédita de um dos maiores best-sellers mundiais.Paulo Coelho, o homem de mais de 75 milhões de livros vendidos, está publicando os capítulos de seu próximo trabalho, "A Bruxa de Portobello", em um blog na internet. No sábado, os internautas terão acesso ao sétimo capítulo da obra - os seis primeiros continuam no site. "25% do livro será publicado antes do lançamento, que acontece em 27 de setembro no Brasil e em Portugal", conta o autor em entrevista exclusiva ao JT.O início de "A Bruxa de Portobello" faz referência às injustiças cometidas pela Igreja na época da inquisição. A velha história dos hereges, que eram queimados em fogueiras por serem considerados bruxos, é transportada para os tempos atuais. O texto incentiva o leitor a uma reflexão crítica sobre o perfil da sociedade contemporânea, fala sobre o medo que as pessoas têm de mudar, além da resistência ao novo e o conformismo.Impedido de dar mais detalhes sobre a trama até que o livro chegue às livrarias, Paulo Coelho acredita que divulgar parte de sua nova obra na internet permite que as pessoas saibam o que vão encontrar no mês que vem. "O leitor terá uma idéia mais clara sobre o livro e poderá decidir melhor (na hora de comprá-lo)", argumenta.De acordo com o escritor, que já declarou que a polêmica atrai leitores, a idéia de antecipar os capítulos (até então inédita no País, pelo menos entre os grandes nomes) partiu de sua assistente, Paula Bracconot. "Ela achou que se os leitores tivessem acesso ao livro antes, saberiam o que estão comprando."Blog já teve mais de 11 mil visitasEm menos de três semanas, o blog já foi visitado por mais de 11 mil pessoas, que lêem os textos e escrevem comentários sobre a trama. "Pelo que tenho visto na internet, os leitores estão reagindo muito bem à idéia", diz Coelho.No entanto, o privilégio é restrito à parte de seus fãs, uma vez que os textos estão disponíveis apenas em português. Mas o autor, que tem seus trabalhos publicados em 62 idiomas, pretende expandir o conteúdo para outros públicos. "Não posso disponibilizar em outras línguas, porque aí entram os direitos do tradutor. Mas estou lutando para conseguir a tradução em espanhol, já que o livro sairá em breve na América Latina." A iniciativa também é vista com bons olhos pela editora Planeta, que assinou um contrato milionário - o mercado especula que foi de US$ 800 mil por quatro anos - com o autor no início do ano. "Apóio com força a idéia do Paulo, acho que é uma forma de despertar o interesse do leitor e reforçar a maneira diferenciada com que ele lida com o público. Ele sempre esteve à frente no uso de recursos tecnológicos para divulgação de suas obras", elogia Pascoal Soto, diretor editorial da Planeta.Segundo Soto, o que surpreendeu a editora, já que até o momento só havia republicado os trabalhos consagrados do escritor, foi a notícia de que teriam uma obra inédita de Paulo Coelho pronta. "Não esperávamos que ele escrevesse agora. Nos surpreendemos quando Paulo disse que estava com um livro novo nas mãos", conta o diretor.O último trabalho inédito de Paulo Coelho, Ser Como o Rio que Flui (compilação de textos), foi lançado em alguns países no início de 2006, mas ainda não foi publicado em português. Já o romance "O Zahir" (de 2005), que apesar de não ter feito aqui o mesmo sucesso dos clássicos "O Diário de um Mago" e "O Alquimista", foi o terceiro livro mais vendido no mundo naquele ano, perdendo apenas para "Código Da Vinci" e "Anjos e Demônios", de Dan Brown.

Agencia Estado,

18 de agosto de 2006 | 14h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.