Paulo Autran leva o sr. Green de volta ao palco

Enorme sucesso de público em sua primeira temporada, em 2000, a peça Visitando o Sr. Green reestréia hoje, para convidados, no Teatro Vivo. A peça, do norte-americano Jeff Baron, começa com o Sr. Green, um frágil velhinho interpretado por Paulo Autran, se dirigindo a uma porta em passinhos curtos. Quando a abre, entra Cassio Scapin. Ele interpreta um jovem e bem-sucedido executivo da American Express que, há algum tempo, atropelara o Sr. Green. Como punição, o juiz determinou que ele visitasse o velho uma vez por semana, durante seis meses, para prestar-lhe serviços, coisas como fazer compras ou arrumar a casa, o que for preciso. Mas o velho solitário - ficou viúvo há pouco - não deseja de forma alguma ser ajudado. Mais que isso, não deseja nenhuma companhia. Ocorre que o juiz não libera o jovem e, assim, ambos serão obrigados a conviver. O público acompanha assim a evolução desse convívio, da franca rejeição inicial ao fim amigável, com surpreendentes reviravoltas como recheio. O espetáculo está ainda melhor do que na primeira temporada. Há algo de novo sobretudo na interpretação de Cassio Scapin que revela com mais ênfase, talvez maior despudor, os sentimentos negativos nele despertados pelo conservadorismo tacanho do velho. "Eu fiquei impressionado com o amadurecimento do Cássio?, afirma Paulo Autran. A idéia de retomar a montagem surgiu depois de uma longa procura por um novo texto. "Não encontrei nada que me atraísse. Como essa peça fez muito sucesso, pensei em retomá-la", disse o ator, de 81 anos.Enquanto aguarda o início do espetáculo, o espectador poderá ainda apreciar uma exposição, no saguão do teatro, com fotos de carreira de Paulo Autran. São 20 fotografias em grande formato (1 metro de largura por 1 de altura) de fotógrafos como Fredi Kleeman e João Caldas, desde imagens flagradas na década de 50 até o ano 2000.Visitando o Sr. Green - De Jeff Baron. Direção Elias Andreato. 90 minutos. 12 anos. Teatro Vivo. Avenida Chucri Zaidan, 860, Brooklin, 3188-4147. Quinta e sexta, 21h30; sábado, 21 horas; domingo, 18 horas. R$ 50.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.