Jorge Bispo/ Divulgação
Jorge Bispo/ Divulgação

Paulinho Moska comemora 20 anos de carreira

Músico festeja com novo DVD e responde as questões de amigas cantoras

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

16 Setembro 2013 | 02h16

São 26 músicas, incluindo uma faixa bônus - nada surpreendente para quem sempre valorizou as canções. Muito Pouco para Todos (Sony Music) é o segundo DVD lançado pelo cantor e compositor Paulinho Moska e reúne faixas de outros álbuns, sucessos da carreira e uma canção inédita. Uma retrospectiva de 20 anos de carreira.

Não se trata, porém, de um DVD habitual de show - a música é valorizada pelo ambiente cenográfico, composto por projeções de filmes, fotos e desenhos que emolduram as letras das canções.

Na verdade, esse registro vai além do simples documentário - a proposta é oferecer ao fã um novo olhar do espetáculo, no qual as câmaras não apenas fixam a imagem como se tornam personagens que diferenciam a forma de se acompanhar o espetáculo.

Não se trata de uma novidade na carreira de Moska - Mais Novo de Novo, seu DVD anterior, apresenta uma espécie de roteiro, complementado por histórias como as fotografias de banheiros.

O novo trabalho traz a participação do cantor argentino Kevin Johansen em três faixas. Para Moska, a amizade com o colega representa bem as mudanças em sua carreira, especialmente sua independência fonográfica e no contato com artistas latino-americanos. Johansen é argentino, mas nasceu no Alasca e morou em Nova Iorque. Ou seja, segundo Moska, é como os brasileiros, uma mistura de tudo.

Admirado especialmente pelas cantoras, Paulinho Moska respondeu as seguintes perguntas formuladas por algumas delas, a pedido do Estado. Perguntaram Maria Bethânia, Mart'Nália, Elba Ramalho e Maria Gadú. As questões giram ao redor do processo criativo do músico e de sua incansável curiosidade artística, expressa principalmente na busca por parcerias e sensações na musicalidade de colegas latino-americanos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.