Paul e Ringo juntos ainda é mistério

A princípio, os dois farão apresentações individuais, mas os fãs esperam ver os ex-Beatles juntos mais uma vez

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

26 Janeiro 2014 | 02h10

A nostalgia dos Beatles é coisa que acende todas as esperanças, até as mais remotas. A notícia de que Paul e Ringo irão juntos receber, na festa dos Grammys, um prêmio pela carreira de gravações que os Fab Four fizeram causou um rebuliço em fãs de todos os quadrantes. Começou uma vigília que só terminará esta noite.

Oficialmente, foi informado que cada um fará um número musical separadamente na cerimônia, mas ficou no ar a possibilidade da possível participação de um no show do outro. A última vez que se juntaram foi em 2010, no aniversário de 70 anos de Ringo (antes, tinham se apresentado em 2009, no Radio City Music Hall de Nova York, num evento da David Lynch Foundation).

A apresentação no Ed Sullivan consagrou para os americanos o sucesso que os Beatles tinham emplacado no País com seu single número 1 I Wanna Hold Your Hand, da Capitol Records.

Está previsto um tributo especial com a presença dos dois na segunda-feira, celebrando os 50 anos da primeira participação da banda no programa Ed Sullivan Show, da CBS, em 9 de fevereiro de 1964. The Night That Changed America: A Grammys Salute to The Beatles é o título do especial, segundo declarou Ringo ao programa Access Hollywood.

A data será celebrada pela emissora com um especial de duas horas de duração no próximo dia 9. Os outros membros dos Beatles, John Lennon e George Harrison, morreram em 1980 e 2001, respectivamente (Lennon assassinado, Harrison, de câncer).

Mais conteúdo sobre:
Grammy

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.