''Paul é a minha prioridade''

O guitarrista (e baixista) de Paul, este no lugar que um dia foi ocupado por George Harrison, é Brian Ray. Outro boa-praça, falou com o Estado por telefone, de Buenos Aires. Leia os principais trechos do papo:

Jotabê Medeiros, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

Privilégio. "Não acho que seja uma responsabilidade tocar Beatles com Paul. Não é como eu encaro. Para mim, é um privilégio. E não é como nos Beatles, há muitos "papéis" a desempenhar. São 23 canções dos Beatles, mas há Wings e tudo o mais. Como chefe, Paul trabalha duro, e pede para que todos não sejamos preguiçosos. Ao mesmo tempo, é aberto, dá apoio e estimula a liberdade. Quando não gosta de algo, ele diz. Tem bons ouvidos e muito bom gosto."

Garoto. "Nunca o ouvi dizendo a palavra "aposentadoria". Para ser sincero, ele mostra mais energia que nós quatro juntos. Parece se tornar mais e mais jovem a cada show, e é tão animado. Basta vê-lo cantando e gritando no palco. Mas acho que, após John Lee Hooker e B.B.King, essa ideia de que é preciso parar com a música não faz mais sentido."

Futuro? "Obrigado por perguntar. Acabo de fazer um show solo beneficente no The Roxy, em Los Angeles, e foi inacreditável. Tenho minha carreira solo. Música para mim é uma religião. Quando sobra tempo do trabalho com Paul, adoro ter minha carreira. Paul é minha prioridade, mas já fiz vários discos solos. O primeiro foi Mondo Magneto. O mais recente foi This Way Up, que está disponível no meu website. Canto e toco guitarra."

Guitar heroes. "Para mim, o maior de todos os guitar heroes é Jeff Beck, que ouvi quando tinha 12 anos. Ele me fascina por continuar se desenvolvendo ano após ano, criando uma linguagem para guitarra. Sim, é certo que é uma linguagem que ninguém fala (risos). Meus guitarristas preferidos são muitos, mas Albert King é o cara. Claro, tem Jimi Hendrix, Steve Ray Vaughan, Peter Green, Ry Cooder."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.