Patrimônio tomba obra de Aleijadinho

Uma escultura exposta em um restaurante em São Paulo, com seguro estimado pelas companhias especializadas em US$ 3 milhões, foi tombada na quinta-feira à noite pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Trata-se de uma imagem policromada de 90 centímetros representando Nossa Senhora do Rosário.A escultura pertence ao colecionador paulista Renato Whitaker, que a comprou do empresário mineiro Plácido Gutierrez nos anos 80. Foi feita no fim do século 19 por Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, quando este trabalhava na construção do altar-mor da Igreja de São Francisco."É fundamental que toda obra do Aleijadinho seja exaustivamente inventariada e posta sob a proteção legal do Iphan", afirmou Angelo Oswaldo de Araújo Santos, conselheiro do Iphan e atual secretário da Cultura de Minas Gerais, no parecer que decidiu pelo tombamento da peça. Santos, no entanto, criticou o dono da peça pela exposição que mantém no restaurante paulistano. "O proprietário não hesitou em expô-la de maneira inconveniente e em local inadequado", escreveu.Renato Whitaker rebate a crítica e diz que, pelo menos, a segurança da obra em exposição está plenamente garantida. Ele considera que o reconhecimento oficial e legal de sua peça do Aleijadinho - Whitaker tem outras 30 peças atribuídas ao mestre mineiro - ajuda a acabar com polêmicas de atribuição, como a que cercou recentemente peça do Museu de Arte de São Paulo.Segundo o colecionador, foi a especialista Lígia Martins Costa quem indicou a imagem para tombamento ao Iphan - a mesma especialista que desaprovou a atribuição de obra do Aleijadinho para a peça do Masp. "É preciso estabelecer critérios e coerência nesses laudos", ele diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.