Partido italiano dá prêmio a quem der nome de Mussolini a bebê

Um partido de direita italiano está oferecendo 1.500 euros (1.930 dólares) aos pais que derem aos seus filhos o nome de Benito Mussolini ou da mulher dele, Rachele, alegando que os nomes estão ameaçados. O partido MSI-Fiamma Tricolore, descendente do partido fascista de Mussolini, disse que a iniciativa tem o objetivo de salvar os nomes "em risco de extinção" e prestar homenagem às origens do partido. "Benito e Rachele são nomes bonitos e esperamos que nossa iniciativa original estimule as pessoas", disse Vincenzo Mancusi, autoridade do partido, à Reuters. O dinheiro -- que deve servir para comprar roupas e comida para o bebê -- só pode ser entregue a bebês nascidos em 2009 em cinco vilas onde a taxa de natalidade é mais baixa, segundo Mancusi. Mussolini comandou a Itália de 1922 a 1943, quando foi derrubado depois de levar o país à ruína na Segunda Guerra Mundial, na qual se aliou à Alemanha. Ele foi executado junto a amante, Claretta Petacii, em 1945. Sua viúva, Rachele, morreu em 1979.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.