Paris mostra as tendências do próximo verão

A mulher de Chanel imaginada pelo estilista Karl Lagerfeld para a coleção primavera-verão 2001 vem com o marcado ar retrô das festas dos anos 20. Sob o signo da sofisticação, a figura de Chanel se afina e se estiliza ao máximo, ainda que mais da metade dos modelos que desfilaram em Paris na última terça-feira aparecessem com sapatos planos e pretos, marfim ou com cores mescladas. Tons que dividem o papel principal na palheta de cores de Lagerfeld com o marrom, salmão, rosa, azul marinho e o cinza pérola.Seus trajes se convertem em vestidos de corte baixo com corpos que abandonam o tradicional tecido de nós por telas vaporosas de seda plissada, que recorrem o pescoço com grandes laços.As pregas esvoaçantes e as formas volumosas também se instalam em algumas saias que terminam acima dos joelhos, nos trajes diurnos, e, mais longas, nos glamurosos modelos da noite. Estas últimas são acompanhadas de vertiginosos sapatos negros que cobrem os suntuosos bordados de pedrarias e que quase sempre deixam o calcanhar descoberto.Na cabeça, a mulher Chanel da próxima estação levará sempre pequenos chapéus de abas pequenas e redondas que cobrem o cabelo e ocultam parte do rosto.Valentino - Também excessivamente discreto com o uso de cores estava o desfile de Valentino, com sua última criação de alta costura. Jogando apenas com o branco e o preto e alguns poucos detalhes vermelhos, Valentino deu uma lição de elegância tranqüila com seus cortes precisos e saias em movimento. /APModelos desfilam com lenços na cabeça, parte da coleção de Emmanuel Ungaromostrada na segunda-feira, em Paris Os ares da Índia e da Indochina também invadiram a última coleção de Scherrer, que desenhou uma mulher sexy, às vezes fatal, e sobretudo exótica. Com trajes de noite com nomes provocativos como "Impacte", "Sukothai Dream" e "Who Belong to Me" ("quem me pertence"), a mulher de Scherrer seadorna de apetrechos.Ungaro - A inspiração oriental dos contos das Mil e Uma Noites, apareceu também nos vaporosos modelos de seda multicores de Emmanuel Ungaro. Uma boêmia chique e colorida que privilegiou os vestidos às calças, quase eliminadas das coleções apresentadas até agora nos desfiles parisienses. Dos poucos exemplos que se viu, Chanel por exemplo só apresentou um modelo de calça, virão com corte bem baixo.Ungaro, que envolveu as cabeças de suas modelos com lenços, aproveitou para lançar seu novo perfume feminino, Desnuda, que deve chegar às lojas em meados de fevereiro.MacQueen - Correm boatos de que Alexander MacQueen não desenhará mais para a grife Givenchy. Em um desfile de 34 modelos a portas fechadas, apenas para clientes selecionados, MacQueen apresentou, segundo Jean-Louis Scherrer, uma coleção de "modelos hiper-refinados, sem um pingo de vulgaridade e inspirados na África".

Agencia Estado,

24 de janeiro de 2001 | 02h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.