Paris Hilton processa site que expõe sua intimidade

A multimilionária Paris Hilton apresentou na segunda-feira um pedido na Justiça solicitando o bloqueio do site que exibe fotografias, vídeos, diários e outros pertences pessoais que ela, herdeira da rede de hotéis Hilton, mantinha em um depósito. O site, ParisExposed.com, argumenta que os artigos em questão foram leiloados depois que Paris não cancelou uma dívida com um depósito de Los Angeles, nos Estados Unidos. A página da web promete aos usuários acesso ao passaporte, histórico médico e outros documentos da celebridade em troca de uma quantia de US$ 39,97. No processo que apresentou, Paris diz que deixou suas coisas em um depósito durante dois anos após ter se mudado com a irmã Nicky de uma casa que havia sido roubada. A modelo de 25 anos explicou ainda que uma empresa de mudança deveria ter pago por ela o depósito e afirmou ter ficado "em choque e surpresa" com o leilão. "Fiquei preocupada em saber que as pessoas estão explorando meus pertences e os de minha irmã", desabafou ela em uma carta que acompanha o processo, acrescentando que teme que as informações possam possibilitar que alguém use sua identidade. De acordo com o documento, os acusados, Nabil e Nabila Haniss, pagaram US$ 2.775 pelos objetos de Paris e depois os venderam ao empresário Bardia Persa, criador do ParisExposed.com, por US$ 10 milhões. O porta-voz de Paris, Elliot Mintz, disse que a cliente gostaria que o site fosse bloqueado e que devolvessem a ela todos os seus pertences. Paris, que já esteve nas passarelas e atuou em séries de TV e em filmes, resolveu investir em 2006 na carreira de cantora e lançou, em agosto, seu primeiro CD, Paris. Ela ganhou fama internacional quando seu então namorado Rick Solomon postou na internet um vídeo que mostrava os dois fazendo sexo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.