Parcerias prometem potencializar carnaval de SP

Parcerias com a iniciativa privada prometem tornar o Carnaval paulistano de 2001 um evento mais profissional e turístico do que as edições anteriores. Robson de Oliveira, presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, informou hoje, em entrevista coletiva, que firmou uma parceria de quatro anos com a Dimep Gráfica. A empresa, que já havia cuidado do controle de acesso do carnaval em 2000, vai assumir a organização do evento a partir de 2001. Além da Dimep, mais sete empresas entrarão como parceiras do evento para cuidar da infra-estrutura. Os ingressos da ala Vip serão colocados à venda a partir desta quinta, dia 30, pelo telefone 3832-9006. Os ingressos para a arquibancada estarão disponíveis a partir de 15 de dezembro das 10h às 17h nas lojas da rede Resgate.Se de um lado os investimentos privados prometem movimentar o Carnaval paulistano, a parte que cabe à Prefeitura de São Paulo ainda não foi cumprida. Até o momento, a Prefeitura não repassou os recursos para a Liga referentes a 2001. Segundo o diretor de eventos do Anhembi, Sérgio Redó, o atraso neste repasse acontece devido à transição entre as prefeituras. A previsão é de que duas parcelas de R$ 1,75 milhões sejam pagas até o fim do ano. O orçamento proposto pela Liga para 2001 é de 20 milhões. No último Carnaval, a Prefeitura liberou R$ 16 milhões, uma quantia expressiva que começou a ser repassada desde outubro de 1999.Profissionalização - Segundo o presidente da Vai-Vai, Sólon Tadeu Pereira, "o Carnaval em São Paulo só sobreviveu até hoje devido à tradição." Sobre a diferença entre os carnavais do Rio e de São Paulo, polemiza: "o Carnaval do Rio é feito para turistas, e o de São Paulo é um carnaval de raiz". Para Josué Pimenta, diretor da Dimep Gráfica "com a profissionalização do nosso Carnaval, São Paulo, que é a maior cidade do Brasil, estará em condições de ter um espetáculo de nível igual ou superior ao do Rio de Janeiro."Os grandes alvos dos organizadores são os turistas do interior do Estado, da Região Sul do País e do exterior, principalmente do Mercosul. Para isso, firmou-se uma parceria com uma empresa de turismo que oferecerá pacotes promocionais para o Carnaval em São Paulo. Outros estímulos para os turistas serão as melhorias na infra-estrutura do evento, como o reforço na segurança da ala Vip e no serviço de buffet.A organização ainda pretende estimular os paulistanos a participarem do Carnaval na capital tentando minimizar a fuga dos moradores para outras regiões. Para facilitar a compra dos ingressos, nove pontos de venda serão distribuídos entre a Capital, Grande São Paulo e Litoral Sul paulista. Desta forma, espera-se que a ocupação dos lugares aumente de 65%, registrada neste ano, para 80% no ano que vem.

Agencia Estado,

29 de novembro de 2000 | 18h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.