Para reduzir gastos, príncipe Charles freta iate de luxo

O príncipe Charles e a duquesa da Cornualha vão passear pelo Caribe num dos iates fretados mais caros do mundo, num esforço para reduzir suas despesas com viagens e emissões de gases causadores do efeito estufa. Para a viagem de 11 dias que fará em março, o casal vai alugar o iate Leander, de Donald Gosling, fundador da National Car Parks. O custo, que será incluído no relatório anual de gastos do príncipe ainda este ano, será mais baixo do que se o casal viajasse em aviões fretados, disse um porta-voz do príncipe. A embarcação também vai liberar cerca de 40 por cento menos emissões de carbono que fizeram os aviões na última viagem que o príncipe fez no Caribe, em 2000. Para reduzir ainda mais seus custos, o casal real vai voar da Inglaterra para o Caribe e retornar num vôo comercial comum. A visita, que vai incluir escalas em Trinidad e Tobago, Santa Lucia e a Jamaica, tem por objetivo reforçar os laços da Grã-Bretanha com os países da Comunidade Britânica e suas relações com Montserrat, que é Território de Ultramar do Reino Unido. "A viagem vai divulgar as prioridades chaves do governo britânico na promoção do desenvolvimento sustentável, da proteção ambiental e da abertura de oportunidades para os jovens", disse um porta-voz. A embarcação de 246 pés tem 25 tripulantes e instalações que incluem um convés com banheira de hidromassagem, bar, sala de ginástica e sauna. O apartamento dos proprietários inclui duas suítes, um bar e um convés particular. A revista Power & Motoryacht disse que o Leander foi nos últimos anos o iate fretado mais caro do mundo, mas que já foi superado por outros. Mas, acrescentou, o iate ainda é "um dos melhores para se tirar férias no exterior", dotado de "espaços suntuosos". O iate real Britannia deixou de ser usado em 1997, depois da chegada do governo trabalhista ao poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.