Para reduzir gastos, príncipe Charles freta iate de luxo

O príncipe Charles e a duquesa daCornualha vão passear pelo Caribe num dos iates fretados maiscaros do mundo, num esforço para reduzir suas despesas comviagens e emissões de gases causadores do efeito estufa. Para a viagem de 11 dias que fará em março, o casal vaialugar o iate Leander, de Donald Gosling, fundador da NationalCar Parks. O custo, que será incluído no relatório anual de gastos dopríncipe ainda este ano, será mais baixo do que se o casalviajasse em aviões fretados, disse um porta-voz do príncipe. A embarcação também vai liberar cerca de 40 por cento menosemissões de carbono que fizeram os aviões na última viagem queo príncipe fez no Caribe, em 2000. Para reduzir ainda mais seus custos, o casal real vai voarda Inglaterra para o Caribe e retornar num vôo comercial comum. A visita, que vai incluir escalas em Trinidad e Tobago,Santa Lucia e a Jamaica, tem por objetivo reforçar os laços daGrã-Bretanha com os países da Comunidade Britânica e suasrelações com Montserrat, que é Território de Ultramar do ReinoUnido. "A viagem vai divulgar as prioridades chaves do governobritânico na promoção do desenvolvimento sustentável, daproteção ambiental e da abertura de oportunidades para osjovens", disse um porta-voz. A embarcação de 246 pés tem 25 tripulantes e instalaçõesque incluem um convés com banheira de hidromassagem, bar, salade ginástica e sauna. O apartamento dos proprietários incluiduas suítes, um bar e um convés particular. A revista Power & Motoryacht disse que o Leander foi nosúltimos anos o iate fretado mais caro do mundo, mas que já foisuperado por outros. Mas, acrescentou, o iate ainda é "um dos melhores para setirar férias no exterior", dotado de "espaços suntuosos". O iate real Britannia deixou de ser usado em 1997, depoisda chegada do governo trabalhista ao poder.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.