Para eles estilo

Em Milão, as apostas e tendências da moda masculina

FLAVIA GUERRA, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2012 | 03h11

}

Enquanto estilistas driblam limitações da moda para homens com pesquisa de tecidos, texturas e cores, a Prada propôs a ousada, mas difícil, dupla 'sandália com meia'

Se no Brasil são raras as grifes que desfilam coleções exclusivamente masculinas, na Europa elas há muito fazem parte do calendário da moda. Mais que isso, têm semanas exclusivas que atraem olhos atentos ao que há de novo para eles.

E é justamente na Itália, onde a tradição da alfaiataria tem ainda muito prestígio, que ocorrem os principais eventos da área. A Milano Moda Uomo, encerrada na quarta-feira, é a mais importante semana de moda masculina do mundo, enquanto a Pitti Uomo, que ocorre dias antes em Firenze, sustenta o título de vice. Juntas, levam mais de 20 mil pessoas ao país para conferir não só o que grifes da casa criam, mas também as internacionais como Burberry, Jil Sander, Raf Simons e Calvin Klein.

No Brasil, mestres da moda masculina, como João Pimenta, controlam um pouco a ousadia das formas para focar no mercado e atrair o 'homem comum', ao mesmo tempo que as grifes internacionais tentam ousar numa moda notadamente marcada pela contenção. Pudera. A moda masculina esbarra num detalhe nada pequeno: o gosto do consumidor. Homem em geral, por mais fashion que seja, não costuma apostar em cortes e cores que variem muito além do básico. E muito menos é fã de volumes, texturas e comprimentos 'muito diferentes'.

Então, como inovar nessa área? Entre outras ideias, investindo na pesquisa de tecidos, como faz Pimenta, que foca n um público consumidor que quer aliar o utilitário ao fashion e em outro mais moderno que aposta em cores ousadas.

Investir nas cores foi a aposta de marcas como Burberry, Gucci, Salvatore Ferragamo, Prada. Esta última ousou menos nas cores e apostou em tons de azul, vermelho e nude. Tudo parece muito simples nessa coleção calcada nos cortes retos. Mas Miuccia Prada não deixou por menos e surgiu com uma proposta irreverente: meia com sandália. O que parece ser o mais antifashion dos hábitos, sob a batuta e o rigor da Prada ganha valor e vira desejo de moda.

Se os menos afeitos não conseguem 'segurar' o look arriscado de terno e sandália com meia, Ermenegildo Zegna, Burberry e Roberto Cavalli investem pesado nas cores metálicas. Já Ferragamo e Gucci mergulham nas cores em melhor clima dos anos 1980. Muito azul claro, laranja, amarelo, verde e vermelho para eles. Para 'voltar à normalidade' e contrapor tanta cor, o tradicional 'branco total no verão' também surgiu na Gucci, na Ermenegildo Zegna e na Bottega Veneta. Prova de que no verão 2013 os homens vão ousar, mas não muito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.