Para chefão da Globo, programa de Fátima ainda não está no ponto

Em entrevista ao Estado, o diretor-geral da TV Globo, Octávio Florisbal disse que acredita que o Encontro com Fátima Bernardes evoluiu muito desde a sua estreia, mas ainda não está no ponto. Para ele, isso deverá acontecer dentro de um ou dois meses. "O Encontro com Fátima, que saiu do zero, é um programa de prestação de serviços, que atua em comportamento, debates, conversa, e tem que ter ajustes naturais: ajustes das pautas, dos assuntos, tem que a Fátima ficar cada vez mais à vontade no programa, aquela plateia tem que ficar mais à vontade, o cenário vai sendo ajustado, tudo isso a gente imagina que se consegue em dois ou três meses de programa e a gente está evoluindo muito."

Cristina Padiglione, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2012 | 03h08

Segundo Florisbal, o programa hoje tem média nacional no Ibope de 7 pontos. Em São Paulo, chega a 6, às vezes 5, mas a meta é alcançar 8 pontos no Painel Nacional - "se chegar a 9, é o ideal". Florisbal lembra que a disputa é mais acirrada em São Paulo, onde o número de televisores ligados na faixa matutina é sempre mais baixo que o resto do País. "Na hora do almoço, o total de ligados na Grande São Paulo é de 33 pontos. Na Grande Rio, é de 45. Aqui, a gente se mata para ter 11, 12 pontos no SPTV. Já o RJTV dá 18". O diretor não ignora também o fato de as concorrentes da Globo no horário, SBT e Record, terem sede em São Paulo e programação mais centrada na região, o que só dificulta a missão da Globo.

Se a audiência de Fátima ainda não é o que a Globo almeja, Florisbal fala que o potencial comercial do horário, na troca da programação infantil pela adulta, trouxe novo fôlego à emissora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.