Paparazzo perde processo envolvendo atriz Nicole Kidman

Jamie Fawcett havia processado o jornal 'Sun Herald' por tê-lo acusado de perseguir a atriz para fotografá-la

Ansa,

27 Fevereiro 2008 | 11h25

O paparazzo australiano Jamie Fawcett perdeu o processo por difamação contra o jornal Sun Herald que envolvia a atriz australiana Nicole Kidman. Fawcett havia processado o jornal por tê-lo acusado de perseguir a atriz e, ao invés de um ressarcimento, a justiça lhe impôs o reembolso das despesas legais das duas partes.   O juiz da Corte Suprema de Sydney, Carolyn Simpson, reconheceu que Fawcett havia, em 2005, tentado colocar escutas na casa de Nicole em Sydney e realizado uma perigosa perseguição ao automóvel da atriz na tentativa de fotografá-la.   O fotógrafo processou o Sun Herald por um artigo publicado sobre o caso. O texto continha seis passagens que Fawcett definia como difamatórias, sendo que uma delas o descrevia como "o fotógrafo freelance mais detestado de Sydney" e outra que ele havia se comportado como "um cowboy, de tal maneira intrusiva e ameaçadora que assustou" a atriz.   Durante o caso, a atriz testemunhou ter ficado "realmente assustada" e ter temido morrer quando era perseguida em seu automóvel pelo paparazzo.   Nicole declarou que temeu um acidente e que ficou ajoelhada no banco traseiro, agitadíssima e quase chorando, durante o trajeto em direção à casa de seus pais.

Mais conteúdo sobre:
Nicole Kidman

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.