"Pantanal" é da Globo. E agora?

Que a Globo comprou os direitos de Pantanal, já é fato. O problema agora é o que vai fazer com a trama de Benedito Ruy Barbosa que assombrou sua audiência em 1990, quando foi ao ar na Manchete em versão desacreditada. O autor, que até Pantanal só escrevia tramas para o horário das 6 da Globo, quer uma nova versão da história na líder. A Globo não. Benedito sonha em recontar a história com mais dinheiro para a produção e usando recursos tecnológicos. Dos planos da emissora passa longe a idéia de fazer um remake daquela que revolucionou a maneira de se fazer novelas. Antes de Pantanal, apenas 10% das cenas das tramas eram feitas em externas. Atualmente há folhetins que chegam a ter 40% de suas cenas gravadas fora dos estúdios. Além de um formato novo, Pantanal praticamente triplicou a audiência da extinta Manchete fazendo com que ela roubasse pontos preciosos da Globo no horário. Se não foi para fazer um remake, por que então a Globo comprou os direitos da trama? A rede diz que é para Benedito reaproveitar elementos de Pantanal em outras novelas suas. Mas o autor não quer isso. Quer fazer um remake e ponto final. O mais provável é que, com o crescimento da Record na produção de novelas, as investidas do SBT e a tentativa da Band de voltar a produzir teledramaturgia, a Globo tenha apenas se apressado para manter sob os seus domínios uma história tão interessante. A saga da família Leôncio, que se transformava em uma das grandes criadoras de gado da região pantaneira sul-mato-grossense, tinha ficado oito anos na gaveta da Globo antes de ser comprada pela Manchete. Ao que tudo indica, voltará para a gaveta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.