Pandas-vermelhos provam que o amor não tem idade

Casal passa grande parte do dia de lábios colados ou dormindo juntos, enrolados um no outro no Japão

REUTERS

01 de novembro de 2007 | 13h38

Depois de oito anos vivendo juntos, dois pandas-vermelhos já nada jovens se apaixonaram e descobriram a arte de beijar. Os pandas-vermelhos são criaturas solitárias que costumam se unir apenas durante o período fértil e que vivem em média dez anos. Mas o casal do zoológico Kawasaki Yumemigaoka, do Japão, é uma exceção à regra. O panda macho e a panda fêmea, com idades de 14 e 12 anos respectivamente, são mantidos juntos há anos na esperança de que procriassem. Mas os dois só começaram a dar sinais de afeição um pelo outro neste ano. E agora passam grande parte do dia de lábios colados ou dormindo juntos, enrolados um no outro. Os pandas-vermelhos vivem nas montanhas e vales do Himalaia, no norte da Índia, na China, no Nepal e no Butão. Especialistas acreditam que apenas 2.500 deles ainda sobrevivem nas matas, onde são ameaçados pelo desmatamento e por caçadores. (Por Olivier Fabre)

Tudo o que sabemos sobre:
oddpandas-vermelhos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.