Palestra de Rushdie é cancelada após ameaça de morte

O maior festival de literatura da Ásia cancelou a palestra televisionada do escritor Salman Rushdie minutos antes do horário em que estava programado para começar nesta terça-feira, em meio a ameaças de mortes aos organizadores e o temor de protestos violentos de grupos muçulmanos.

HENRY FOY, REUTERS

24 de janeiro de 2012 | 10h41

A questão do escritor britânico-indiano Rushdie, que cancelou sua visita ao festival na Índia por causa de ameaças de morte, lançou uma sombra sobre o evento. Grupos muçulmanos protestaram contra o convite ao autor e outros escritores acusaram o governo indiano de suprimir a liberdade de expressão.

"Há um grande número de pessoas com aversão à essa videoconferência dentro desta propriedade. Eles ameaçaram recorrer à violência", disse o dono do hotel em que o festival é realizado, Ramtap Singh, a uma multidão que se reuniu para ouvir o autor. "Isto é necessário para evitar que todos se machuquem."

O diretor do Festival de Literatura de Jaipur, William Dalrymple, recebeu ameaças de morte antes do discurso de Rushdie.

O escritor, cujo romance "Versos Satânicos", de 1988, é banido na Índia, cancelou sua presença no festival, no qual faria uma conferência, após relatar que sofrera ameaças de assassinato.

O festival de cinco dias, que termina nesta terça-feira, atraiu mais de 70 mil visitantes e contou com a presença de autores de sucesso, como Richard Dawkins, Tom Stoppard, Michael Ondaatje e a superestrela de TV Oprah Winfrey.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTERUSHDIECANCELA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.