Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Palcos garantem diversão da garotada

O fim de semana é das mães, mas agarotada também ganha presentes. Três boas estréias esquentam aagenda cultural mirim. O 6.º Festival Cultural apresenta duasopções: a peça musical Art of Food, de LinseyPollak, e oteatro de bonecos Bichos do Brasil e Austrália, da companhiaPia Fraus. O Crowne Plaza recebe A Revolução na Cozinha, doTeatro La Plaza, que leva ao palco os bonecos robotizados.Linsey Pollak é um músico criativo: produz instrumentos musicaisa partir de vegetais, utensílios de cozinha, palitos parachurrasco, escova de dentes e, até mesmo, um fio dental. Amúsica experimental entra no palco via um mestre-cuca muitomaluco no espetáculo Art of Food. Os ruídos esquisitosproduzidos por Pollak mesclam-se aos sons de instrumentosmusicais. Pollak leva ao palco uma bancada maluca para abrigarobjetos inusitados.No primeiro momento usa uma broca elétrica para transformar umacenoura em flauta. Uma cebola e dois palitos para churrascoviram instrumento de percussão. Sons engraçados ecoam compondo adivertida orquestra regida pelo maestro mestre-cuca. O efeito éimediato: boas gargalhadas do público.Há 30 anos na estrada, Pollak conta que começou sua carreiracomo músico e luthier, da experiência das duas profissões surgiua necessidade de criar algo inusitado, diferente. "Há 15 anospassei a observar o cotidiano de uma forma diferente, atento aosobjetos comuns para tirar deles sons semelhantes aosinstrumentos convencionais, como flautas e clarinetas."As performances que realiza se tornam um canal para familiarizara platéia com sua música. "Utilizo o teatro como um meio paraarticular minhas idéias. Após elaborar um instrumento, formatouma peça teatral por meio de improvisações. Começo a tocar, daínascem as cenas", diz o músico. Pollak não utiliza textos.Barulhos engraçados somam-se às suas criações, combinados comtecnologia digital.Em cena - Na apresentação de estréia, na quarta-feira, os alunosdo Espaço Cultura Inglesa, no bairro da Saúde, conferiram ocarisma do músico/ator. As crianças observavam atentas aosmovimentos. A alegria, ainda que contida, contagiou a moçada queaplaudia, dançava sentada e até mesmo se escondia embaixo dascadeiras sob a ameça de uma chuva de cenoura ralada. "Ele émuito corajoso; não é qualquer pessoa que sobe em um palco ecospe cenoura no público. Gosto de peças assim, diferentes, umaque gostei foi O Castelo Rá-Tim-Bum porque tinha mais açõescom o corpo", diz Carolina Leite, de 11 anos."Fiquei impressionada como uma pessoa pode fazer uma cenouravirar flauta. Eu nunca tinha visto nada igual, fiquei espantadacom o talento e criatividade", comenta Marcia Simbara, de 10anos. Para Marcelo Andrade, Pollak sabe como alegrar ascrianças. "Achei muito divertido e aprendi que é possível fazerqualquer coisa com os objetos e que eles não possuem uma únicafunção."Para Júlio Eduardo Moura, de 11 anos, esse é um espetáculo quepode ser visto por pessoas de todas as idades. "Só não gosteide uma coisa: o final. Ele simplesmente saiu de cena, ficouestranho, meio sem sentido."Bichos - Ainda na programação do Cultura Inglesa, o PiaFraus promove um intercâmbio cultural em Bichos do Brasil eAustrália. A peça nasceu a convite dos curadores do festival."Achamos a idéia criativa. Colocamos os animais australianosfazendo uma visita às florestas brasileiras. Acrescentamosesquetes, no entanto o espetáculo é basicamente o mesmo. Somenteem alguns momentos há o encontro entre as espécies nacionais eestrangeiras, o que produz uma reação de estranhamento entre osanimais", comenta o diretor, Beto Andretta.Em cartaz desde fevereiro, o espetáculo Bichos do Brasilrepresenta a fauna brasileira por meio de bonecos feitos commateriais como fibras, plásticos e tecidos e infláveis. "Nãotemos uma preocupação didática, porém mostramos que se os homensdeixarem a natureza em paz, os animais conseguem se reproduzir eas espécies sobrevivem.A preservação entra de maneira lúdica e subjetiva noespetáculo", afirma Beto Andretta. Em Bichos do Brasil eAustrália as crianças conhecerão quatro novos animais"importados": um jacaré, uma cracatoa, um emu e, como nãopoderia faltar, o canguru. "Emu é uma espécie de ema. Acracatoa é uma ave que acaba dançando forró e ainda há umafamília de cangurus", conta. A surpresa está no nascimento deum filhotinho, que salta da bolsa de sua mãe.Robôs - Para completar a surpresa deste fim de semana, acompanhia Teatro La Plaza exibe a mais nova criação: bonecosrobôs orientados por controle remoto por Julio Pompeo, dascoxias. "Essa é uma técnica muito utilizada pela televisão ecinema, e estamos, pela primeira vez, experimentando no teatro -um risco, uma vez que os robôs são sensíveis às ondaselétricas", explica Pompeo.A peça conta a história de um chefe francês, que descobre asolução para o excesso de trabalho: a máquinasuper-hiper-extra-mega-max-faz-tudo. Enquanto espera a chegadade seu mais novo instrumento, tira um cochilo. Nesse momento,vegetais e frutas tomam vida e formam uma brigada contra essepoderoso inimigo que transforma todos os alimentos emhambúrguer.Um texto aparentemente ingênuo, que brinca com o imaginário dascrianças. "A discussão de pano de fundo está na substituiçãodos homens pelas máquinas e na crítica à massificação -atualmente as pessoas estão perdendo a individualidade, suacultura, e assimilam um padrão único", diz Pompeo.The Art of Food. Com Linsey Pollak. Sábado e domingo, às 16horas. R$ 5,00 (estudantes) e R$ 10,00. Assinantes do Teatro Alfa têm15% de desconto. Teatro Alfa. Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. (11) 5693-4000; e quinta-feira, às 16 horas. R$ 5,00 (estudantes) e R$ 10,00. Central do Circo. Rua Adib Auade, 41; km 22,8 da Rodovia RaposoTavares, tel. (11) 6846-6000.Bichos do Brasil e da Austrália. Cia. Pia Fraus. Sábado, às 16horas e às 17h30; e domingo, às 15 horas e às 16h30. R$ 5,00(estudantes) e R$ 10,00. Teatro Cultura Inglesa - Pinheiros. Rua DeputadoLacerda Franco, 333, tel. (11) 6846-6000. Recomendada.A Revolução na Cozinha. Sábado e domingo, às 16 horas. R$ 6,00 (estudantes) e R$ 12,00. Teatro Crowne Plaza. Rua Frei Caneca, 1.360, tel. (11) 289-0985. Até 30/6. Estréia prevista para amanhã (11).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.