Divulgação
Divulgação

Paisagens e Picasso nos planos do museu

Mostra 'Paisagem na Coleção da Tate'

Camila Molina, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2014 | 02h08

A mostra Paisagem na Coleção da Tate, prevista para ser inaugurada na Pinacoteca em 13 de novembro, não é apenas a presença de 60 obras de pintores como Constable (1776-1837) e William Turner (1775-1851) vindas do acervo do museu britânico, como o preparativo para um ambicioso projeto da instituição brasileira, a apresentação, em 2016, de exposição sobre a paisagem da América desde o Canadá.

De futuro, ainda, a Pinacoteca está planejando para 2018 a realização de uma mostra de Pablo Picasso em parceria com o Museu Reina Sofia de Madri. "A ideia é refazer a exposição de 1953/54 de Picasso no Brasil", diz Ivo Mesquita, diretor da Pinacoteca. "Não vamos poder trazer a Guernica, mas o Reina Sofia tem todos as obras preparatórias da obra. Eram 56 pinturas que estiveram no Brasil. É um trabalho de pesquisa".

Mas, por enquanto, o calendário da instituição para 2014 (com orçamento de R$ 35 milhões) - ano de Copa do Mundo e da 31.ª Bienal de São Paulo - está repleto de atrações.

Uma retrospectiva de Leonilson (1957-1993), com curadoria de Adriano Pedrosa, está prevista para ser inaugurada em 9 de agosto na Estação Pinacoteca. O mesmo prédio também apresentará, durante a Copa, uma grande exposição do artista Miguel Rio Branco, com criações de desde a década de 1980 . Importante ainda destacar exibição de trabalhos das estrelas contemporâneas Tino Sehgal (março) e Mona Hatoum (dezembro) e a chegada, em julho, da retrospectiva de Mira Schendel feita com a Tate. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.