PAISAGEM INTERIOR

O espaço "limpo e ideal" do Anexo Original do MAC-USP, projetado por Oscar Niemeyer nos anos 1950 para integrar o então Pavilhão da Agricultura no Conjunto Arquitetônico do Ibirapuera, está, a partir de agora, tomado por 70 postes de madeira. Fincados nas paredes (os buracos estão lá), entrecortando o prédio em meio a suas colunas arquitetônicas, esses elementos rudes e comuns formam uma composição horizontal e também suspensa e em equilíbrio, apresentando-se como uma espécie de paisagem interior "em tensão" criada por Carlito Carvalhosa.

O Estado de S.Paulo

08 de março de 2013 | 02h14

O artista foi convidado em 2010 a criar uma obra especial (site specific) para o local, que seria inaugurado no fim do mesmo ano. Os adiamentos, na verdade, somente influíram, ele diz, para que aperfeiçoasse seu trabalho. Sala de Espera é uma instalação potente, misteriosa até, "como se algo estivesse na iminência de acontecer ou como se algo tivesse acontecido; como se essa condição não fosse permanente", considera Carvalhosa.

É uma obra que permite ao espectador várias visadas - e diferentes sentidos através delas. "Esse é um trabalho que não tem frente, você está sempre dentro dele. Ele não tem uma mirada, mas várias vozes, conjuntos, várias naturezas e espaços vazios", descreve o artista, que concebeu Sala de Espera antes de ter feito mostras de destaque no Museu de Arte Moderna (MoMA) de Nova York e na Pinacoteca do Estado.

"Pensei que o Anexo tem uma relação muito forte com a paisagem, por suas colunas. O prédio está nos protegendo de uma cidade ao invés de uma chuva, criando sua própria paisagem aqui dentro, o que é uma espécie de inversão", diz Carvalhosa. Os postes de luz, usados, são remotas árvores. É um elemento que adquiriu uma função e depois foi descartado. "Quis fazer uma coisa horizontal porque a ordem dos postes e das árvores é vertical. É uma outra natureza, de encontro a outra. A ideia do trabalho não é a de equilíbrio, mas de invasão, de ocupação de um sistema por um outro, de duas estruturas que estão em choque." É, assim, uma paisagem construída, na qual transitamos.

A proposta do museu é colocar o Anexo do MAC como espaço para sites specifics de artistas. "O edifício principal (do museu) tem um pé-direito mais baixo, limitações que impendem atitudes experimentais", afirma Tadeu Chiarelli. / C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.